Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

07/11/16

Estúdio responde porque seu anime não ganha segunda temporada








Botei imagem de Re:Zero já pra assustar, hehe.

Recentemente vários sites resolveram reviver uns tweets de setembro de 2015 (ou seja, mais de 1 ano) onde o estúdio Marina Sasaki (responsável por Kiseijuu, Barakamon entre outros) reclamou no twitter e explicou porque alguns animes não ganham uma segunda temporada apenas para ganhar views fácil com esse assunto.

E nós também viemos publicar, mas com minha opinião um pouco mais lá pro fim, Abaixo ada mensagem do Marina Sasaki com sua tradução



Mangá é adaptado para anime → anime se torna popular → vendas do mangá sobem → discos Blu-ray do anime não vendem.

Essa é a dor experimentada pelas empresas que desembolsam 200 milhões de ienes para fazer um anime que não vende bem enquanto o mangá, que não pagou um único iene, consegue. Isso nos faz pensar, "nós nos dedicamos para isso?"



Se um mangá está vendendo o suficiente para lotar caminhões, então será feito! Naturalmente, as pessoas vão começar a esperar uma segunda temporada. Mesmo quando o mangá vende, mas nem mesmo um iene vai voltar para a empresa de anime → os discos Blu-ray não vendem → não há nenhuma maneira de uma segunda temporada ser feita.






E se você vender um monte de mercadorias licenciada da franquia? Royalties de mercadorias de anime é apenas uma pequena porcentagem da receita total. Se você vender 10 milhões de ienes de mercadorias, apenas algumas centenas de milhares de ienes vão para a empresa de anime. Se você não vender um monte de mercadorias, então não seria uma grande soma. No final, é difícil se os discos Blu-ray não venderem.



Uma segunda temporada ser trazida por um comitê de produção só acontece nos melhores casos. A maioria dos comitês nem sequer falam sobre uma segunda temporada. Olham para o 3º ou 4º volume de Blu-ray e calculam se podem minimizar suas perdas. Mesmo streaming, que era suposto ser um raio de esperança, não é forte o suficiente para ser um fabricante de dinheiro...




Como é feito um anime e como se supõe fazer para ganhar dinheiro? Seria ótimo se as empresas de anime pudessem revelar como eles fazem isso. Um exemplo concreto com figures seria o ideal.




Para clientes:

1. Os discos Blu-ray são muito caros.
2. Há muito anime sendo feito.
3. Há anime que o público nem sequer considera a compra.

No lado dos negócios:

3. Os discos Blu-ray não podem ser substituídos como fonte de receita principal.
4. Não há lugar para anime em um mundo de modismos descartáveis.

Essas poderiam ser as razões.


Lembrando que essas mensagens são de 2015, já foi divulgado que a industria de animes cresceu neste ano, e bom lembrar que em 2015 o streaming não era tão forte quanto está agora.

No mais, algumas criticas que eu tenho a fazer a estúdios japoneses, avaliem bem os mangás/novels que vão adaptar, estudem e vejam o que já foi ao ar, há muito anime repetido, chato, clichê saindo, tragam coisas diferentes e boas.

Não fiquem presos apenas em vendas de DVD/Blu-ray, não tenho uma sugestão de outra fonte de renda, mas ter apenas uma fonte principal nunca é uma boa, o mercado evolui então é necessário evoluir junto para não cair.

E sim, os DVDs são bem caros, creio que os estúdios podiam começar a colocar muitos extras que façam valer a pena a compra destes itens, posso citar o exemplo de Re:Zero, que vem uns extras bem bacanas a cada volume.

E você, o que acha disso tudo?

Traduções dos tweets por Crunchyroll

Nenhum comentário:

Postar um comentário