Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria





Qualquer fã de anime DETESTA filler. Aliás, esse parece ser o único motivo pelo qual os fãs deixam suas diferenças infantis de lado para se unirem contra esse mal perverso.

Mas por mais que você, eu e o mundo detestemos, ele é necessário e, às vezes, torna o anime 10000x melhor.

Gintama 101 explica o conceito básico dos fillers:
Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
Quando um anime "alcança" o mangá que ainda está em lançamento, ele precisa fazer uns desvios no caminho para garantir que ele vá ficar "no alcance" do mangá antes de trilhar o caminho correto de novo.

Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
No entanto há alguns riscos. O anime pode acabar ganhando tempo demais para o mangá se "distanciar", mas o mesmo acabar sendo cancelado.

Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
Ou então o mangá pode acabar antes mesmo do Anime conseguir voltar para o caminho certo.

Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
Outro risco é que durante esse processo, os personagens ou o cenário do anime se tornam tão diferentes que eles jamais conseguem se realinhar novamente.

Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
Ou ainda pode acabar usando os mesmos personagens para fazer um anime completamente diferente.

Se você não quis ler isso tudo ou acompanhar o gif fantástico de Gintama, aqui vai o TL;DR dos fillers.

1 - O mangá ainda está longe de terminar, então o anime tem que dar uma "segurada".

2 - Canais de TV japoneses são bem rigorosos com os contratos (26 episódios significam 26 episódios), então fillers são necessários para cumprir as regras do contrato.


Certos Animes Não Existiriam
Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
Que ideia louca, né? Mas, se os produtores escutassem completamente a reação da comunidade quanto aos fillers, animes inteiros como K-On! não existiriam.

K-On! é um dos animes mais populares e de sucesso comercial da era moderna... e é tudo filler. 99% do que acontece no anime não está no mangá, e tem um bom motivo para isso. K-On! é um yonkoma mangá, o que significa que cada capítulo utiliza apenas quatro quadros/painéis para contar histórias e piadas.

Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
Yonkoma mangá não fornecem muito conteúdo para serem adaptados.

Os relacionamentos, os shows e o desenvolvimento dos personagens de K-On! foram possíveis porque a KyoAni expandiu tudo. Essencialmente, o anime só é K-On! no seu nome, o resto se encaixa tudo no que definimos como filler.

Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
Se seguíssemos a risca a ideia de que nada além do mangá deve ser adicionado, então K-On! nunca teria existido. Aliás, nenhum anime baseado em yonkoma mangá existiria! Você gostaria de viver em um mundo sem Nichijou, Working!!! ou Gekkan Shoujo Nozaki-kun?

O mesmo argumento pode ser feito para adaptações de jogos e light novel. Eventos precisam ser retrabalhados ou removidos, porque o que funciona em um jogo nem sempre vai funcionar em um anime.


Vários Animes Não Teriam um Final

O grande problema em adaptar um mangá popular em lançamento é que eles tendem a estar beeeem longe de seus "finais". Ao adaptar um trabalho como Noragami ou Soul Eater (na época), o estúdio precisa tomar uma decisão difícil sobre como terminar o anime. Nem todos os arcos possuem um ponto final claro, e se uma segunda temporada não é garantida, você não pode deixar as coisas em aberta para a sua fanbase.

Porque Fillers são um Mal Necessário para a Indústria
Mas se o arco atual não permite esse tipo de coisa, nós recebemos o que se chama de "Gecko Ending". Os últimos 3 ou 4 episódios de um anime, como Noragami, podem acabar mudando para um rápido "arco original" para nos dar algum tipo de final pra obra. Se posteriormente a segunda temporada é garantida, o "Gecko Ending" é ignorado.

Mas o que você prefereria? Um anime que possui um final "básico" mas que termina, ou um gancho e algo não resolvido sem garantia de um futuro?


O Criador de Mangá Aceita os Fillers

Pois é, às vezes algo que os fãs detestam é algo que o criador não vê o menor problema. 

Um exemplo famoso é o anime Fullmetal Alchemist (2003). Arakawa Hiromu, criadora de Fullmetal Alchemist, pediu ao estúdio Bones que eles criassem uma história própria quando o material do mangá havia se esgotado. Em uma entrevista com a NewType USA, Hiromu comentou sobre fillers:

"Mangá e anime são modos diferentes de expressão com artistas diferentes envolvidos. Não faz muito sentido criar duas formas de expressar uma história se tudo é exatamente igual nas duas versões."

Outro que compartilha essa mesma visão é Sorachi Hideaki, criador de Gintama. Certas piadas ou paródias só funcionam em alguns casos nos mangás ou animes, então é mais uma questão de encaixar do que ser exatamente "fiel".

O Mundo Jamais Viria Algumas Cenas Únicas
O mundo é um lugar muito melhor graças aos "lábios" do Kakashi.

É verdade que quando um filler é ruim, pode acabar arruinando o andamento da série. Mas só porque algo é filler não significa necessariamente que é ruim. Muitas vezes esses arcos originais ou episódios são necessários para garantir uma experiência sólida do anime, seja conseguindo se alinhar a fonte original como mangá ou light novel, ou apenas para garantir que as regras de contrato com o estúdio estão sendo cumpridas. 

Anime é uma indústria que se concentra em adaptar os mais populares e atuais mangás, visual novels, light novels ou jogos. A não ser que tenha uma mudança brusca de direção na indústria de adaptar trabalhos já finalizados, o que provavelmente não vai acontecer por conta de como a receita dessa indústria funciona, temos apenas que aceitar que os fillers fazem parte e vão estar sempre em nossas vidas.

0 comentários:

Postar um comentário