Dieta ousada de Mangaka para longevidade



Shigeru Mizuki era um dos mais amados mangakas do Japão, responsável pela criação do Manga Ge Ge Ge no Kitaro em 1959. Apesar da série original ter durado "apenas" 10 anos, a amável história sobre os espíritos tradicionais japoneses chamados "youkai" ainda atrai muitas pessoas, graças as múltiplas adaptações em animações e live actions, sendo a mais recente em 2008.

Livro Shigeru Mizuki

Mizuki só se "aposentou" pois acabou falecendo em 30 de novembro de 2015, com quase 94 anos. Em 2013 ele ainda estava lançando uma série manga e, também, um livro catalogando todos os hábitos alimentares que o fizeram chegar numa idade tão avançada. Do que consistia a dieta dele? Muitas tranqueiras ou junk foods.

Apesar de hoje estar se popularizando a tendência da alimentação macrobiótica e vegana, Mizuki parecia não se importar muito com isso, muito pelo contrário. O título do livro é "Se você quiser e comer, será feliz - O dia a dia da vida saudável dos Irmãos Mizuki".

Livro Shigeru Mizuki
Leitores que esperam grandes receitas culinárias vão acabar se desapontando. No livro, por exemplo, Mizuki admite sua paixão por Gari Gari-kun, uma marca popular de sorvetes. "Eu não consigo lembrar quantos eu como por dia durante o verão, mas sempre fico com dor de cabeça!", ele brinca.

Sorvete Gari Gari Kun

O amor de Mizuki por comidas não "saudáveis" não se limitava somente a esse tipo de coisa. O lendário mangaka parecia compartilhar os mesmos gostos de um adolescente, e cita hamburgueres e pizzas como suas comidas favoritas. E apesar de seus talentos terem lhe rendido uma riqueza considerável para bancar qualquer tipo de refeição gourmet que quisesse, ele preferia os lanches do McDonald's e tigelas com carne de porco que ele, ocasionalmente, postava fotos para seus seguidores.

Shigeru Mizuki

Mas a fraqueza de Mizuki era mesmo as sobremesas. Mesmo quando estava devorando algo como um hambúrguer com suas presas carnívoras, ele descrevia o "conceito" do hambúrguer como um "botamochi" ou "ohagi', um doce feito de arroz doce e pasta de feijão.

botamochi/ohagi
Éééé... dá até pra assimilar o visual de um botamochi com um hambúrguer, mas, você tem que ser uma formiga de verdade pra começar a comparar o famoso lanche com esse doce.

Mizuki dizia que tentava controlar seu apetite e que vivia em dieta. Sempre pedia para as pessoas que não o recomendassem comidas ou qualquer coisa saborosa, mas complementava de que podiam convidá-lo para comer um bom daifuku, um doce tradicional japonês feito com mochi (arroz) e recheado com algo mais doce (desde frutas a pasta de feijão também). "Eu não tenho muita força de vontade", explicava Mizuki, "então só de você falar sobre daifuku, provavelmente vou acabar comendo uns três ou quatro!".

daifuku

O estilo de vida que Mizuki tinha pode ser um choque nos dias de hoje, especialmente quando até mesmo os mais jovens estão se esforçando para criarem hábitos alimentares mais saudáveis. Será que ele não se preocupava com os possíveis prejuízos dessa dieta?

Nem um pouco. Pra falar a verdade, ele não liga para tais preocupações, "No final das contas, quando é seu tempo de ir, você morre. Quando é seu tempo de estar vivo, você vive. Muito também vem dos genes que você carrega de seus pais".

Por mais "destrutivo" que isso possa soar, a perspectiva de Mizuki retrata muito o folclore japonês e a teoria de que as vidas dos humanos são influenciadas por coisas além de nossas percepções de controle.

Ge Ge Ge no Kitaro
Os personagens de Ge Ge Ge no Kitaro

No entanto, sendo um pouco mais realista com toda essa questão, as atitudes dele podiam ser explicadas pelo fato dele ser um idoso aproveitando a vida confortável depois de anos de trabalho duro. Mizuki foi convocado para o Exército Imperial durante a Segunda Guerra Mundial, no qual acabou perdendo seu braço esquerdo em combate. Ao retornar pro Japão, ele vivenciou vários anos de devastação econômica e agrícola causadas pela postura hostil e bélica do governo da época, e consequentemente a derrota na Guerra.

No fim de sua vida, Mizuki finalmente estava em posição de curtir uma vida tranquila e sem problemas. Em seu livro, ele menciona suas xícaras de chá diárias (sempre com algum lanchinho, obviamente) que ele tomava com sua família, complementando que essa era a atividade que mais o trazia felicidade naqueles dias. Era uma pessoa incrível com história e sentimentos incríveis. Tão incríveis que não podemos realmente julgar ou mesmo invejá-lo por suas vontades de apreciar umas besteirinhas sempre que podia.

Shigeru Mizuki
Um Bic Mac parecia estar no topo da lista de seus momentos felizes também.

0 comentários:

Postar um comentário