Re:Zero - Histórinha especial da Rem

O Melhor Dia da Vida de Rem






Fazia tempo que não trazíamos alguma tradução completa de Re:Zero. Foi uma tradução longa e trabalhosa, mas valeu a pena ler cada linha dessa história. Re:Zero teve sua temporada ano passado, mas já me dá uma sensação de felicidade em "reviver" esse universo pouco tempo depois. Espero que gostem.

E aproveitando que hoje, dia 2 de fevereiro é aniversário da Rem!

Essa história veio de um livreto bônus de Re:Zero
ela ocorre depois do arco 2

Normal = Descrição do autor.

Negrito = Pensamentos de Rem (e Subaru quando for mencionado).

Itálico = Diálogos (Rem, Subaru).

O Melhor Dia da Vida de Rem

1

Meu corpo está quente, meu rosto vermelho, minha respiração carregada de emoções que não se acalmam.

Cozinhar, limpar, lavar. Mesmo que ela estivesse ocupada com todos os tipos de tarefas diárias, Rem não conseguia se concentrar no trabalho. Seus pensamentos estavam sendo consumidos por outras coisas.

Correndo pelo corredor, uma parte dela imaginava o quão rápido ela conseguiria terminar o resto do trabalho, enquanto a outra não fazia nada além de pensar sobre o motivo de seu coração bater tão forte. 

De repente, por ela ter visto algo, a garota solta uma voz tímida de sua boca.

- ...Ah.

Até mesmo ela conseguia ver o quão carregada de alegria sua voz estava. Ela podia sentir suas bochechas pegando fogo. Nisso, Rem acelerou seu passo.

Ao notar a presenca de Rem enquanto ela se aproximava, o garoto vira para ela com um sorriso no rosto.

- Oh! Você já está terminando suas tarefas, Rem?

Cabelo curto e escuro, olhos sanpaku esticados e um sorriso de um garoto levado. Mais ainda do que apenas homem, ele está mais para algo fofo.

Não importava qual característica fosse, todas elas causavam o "chifre" de dentro dela tremer em excitação. Se curvando em frente ao garoto, Rem inconscientemente sorri de volta ao parar em frente a ele.

- Sim... você gostaria de tomar um chá comigo, Subaru-kun?

Seu olhar era de uma garota apaixonada, que acabou de chamar por seu amado.

2

Rem, à essa altura, já estava ciente da doença incurável que causava todo o calor de seu corpo.

Ela não conseguia tirar o garoto de sua cabeça. Era mais fácil calcular quanto tempo ela não havia pensado nele no dia do que o contrário. Literalmente. Mesmo dormindo ou acordada, ela ainda pensava nele.

- Rem eu não sabia que você era tão descuidada...

Será que isso não é um pouco demais?

Até mesmo Rem se questionava o quão anormal era o seu amor por ele.

A única outra pessoa que Rem conhece que sofre dessa "doença" é Ram nee-sama.

Rem entendia isso. A admiração de Ram por Roswaal era a mesma que Rem sentia por Subaru. 

Mas eu não consigo me imaginar como a nee-sama, como ela consegue esconder essas expressões incontroláveis... nee-sama é incrível.

Esse é o amor inconsciente por sua irmã. 

Após perder o chifre dela, várias partes das habilidades dela ficaram piores do que as de Rem, mas nenhuma delas muda o meu respeito pela nee-sama.

Por conta disso, Rem se perguntava se sua doença era ainda mais severa do que a de sua irmã.

- ... Rem?

Uma voz masculina entrou em seus ouvidos. Pode-se dizer que parecia um pouco infantil, mas era também uma voz que gradualmente ficava mais adulta. Essa foi a impressão que a voz deu.

Seu cabelo azulado balançou quando ela virou levemente de lado a sua cabeça e olhou para a pessoa de onde a voz vinha.

- Sim, algo de errado, Subaru-kun?

- Não, não há nada de errado, mas... você não está um pouco perto demais? Não é inconveniente quando se bebe chá?

Tão próximos que eles podiam sentir a respiração um do outro, Rem respondeu o sorriso preocupado de Subaru com uma voz encantadora.

- Mesmo? Rem não acha nada inconveniente.

Os dois estavam na sala de estar da Mansão Roswaal, onde eles aproveitaram o seu chá da tarde no mesmo sofá.

O braço esquerdo de Subaru estava apertado e colado próximo ao braço direito de Rem.

Apesar dos dois manterem uma certa distância no início, sem ele perceber, Rem havia encurtado essa distância pouco a pouco.

- Subaru-kun, você gostaria de alguns doces?

- Eh? Tem mais? Isso é muito bom, essas coisas que a Rem prepara são deliciosos!

- Sim. Isso porque você já me elogiou antes por eles, Subaru-kun... Deve ter uns cem deles, é o suficiente?

- Por acaso você pretende me alimentar até eu virar um porco?! Dois ou três já é demais!

Após ela ter recebido o elogio de Subaru sobre seus doces há alguns dias, ela os servia toda hora durante o chá.

Rem, animada, se levanta.

- Então, eu vou prepará-los. Se Subaru-kun desaparecer enquanto eu os estiver preparando, ficarei muito triste.

- Eu não faria algo tão maldoso. Que tal se eu fizer uma promessa? É uma promessa.

- ...Okay.

Muito antecipado por ela, Rem estendeu seu dedinho, enquanto Subaru estendia o dele com um sorriso de "não tem jeito mesmo". Seus dedinhos se entrelaçaram e balançaram pra cima e para baixo, selando a promessa.

- ...Corte... cabelo

... É por causa de minha doença que meu cérebro não estava pensando direito?

Rem sentia como se eles tivessem feito um acordo desses antes, enquanto pensava no que acabara de dizer.

Foi por volta de uma semana, após o tumulto de Mabeast ter se amenizado. A manhã em que o ferido Subaru abriu seus olhos, Rem se desculpou e pediu uma chance para compensar pelo problema causado. Em vez disso, ela recebeu uma "punição" gentil. Naquela manhã, o coração de Rem foi capturado. Rem ficou cativada pelo futuro que ele descrevera em sua promessa. 

Mas recentemente, ela estava menos satisfeita. Ela queria mais promessas preciosas sobre o futuro. Embora Subaru desse um sorrisinho torto enquanto ele aceitava as promessas de Rem, ele nunca havia recusado nenhum de seus desejos egoístas. Então o amor de Rem apenas crescia e crescia. 

- É verdade, nós prometemos algo desse tipo.

Com o calor dele ainda restando no seu dedinho, Rem estava perto de sair da sala quando ela parou. Quando Rem se virou para ele, Subaru apontou para seu cabelo e dava mais um de seus sorrisos de garoto levado. 

- Nós fizemos uma promessa sobre aparar o meu cabelo. Acho que está mais do que na hora de eu pedir sua ajuda nisso, não?

O garoto provavelmente não sabia o quanto essas palavras fizeram o coração de Rem bater acelerado.

3

Com as mãos hábeis de Rem, cuidar do cabelo de Subaru seria uma tarefa bem simples.

Apesar de ter sido uma promessa simples, para Rem, isso era mais importante do que qualquer outra coisa. O motivo disso seria...

- Porque essa foi a primeira promessa com Subaru-kun.

-- Flashback --

- Da mesma forma que você tem muitas perguntas sobre mim, eu também tenho muito a perguntar para você. E é por isso que nós vamos tomar conta de tudo e depois conversamos. Podemos conversar até nossas gargantas ficarem doendo. Vamos fazer uma promessa.

Subaru puxou a mão de Rem, e cruzou seus dedinhos.

Enquanto Rem ficava confusa pelos dedinhos entrelaçados, Subaru já os estava balançando.

- Fizemos uma promessa de dedinho.

- I-Isso foi...?

- É uma cerimônia em minha cidade natal quando fazemos uma promessa. Se você quebrá-la, terá que engolir mil agulhas. É uma punição terrível.

O monólogo de Subaru já havia ido além do entendimento de Rem.

Rem estava confusa e completamente sem palavras. Nisso, Subaru fez um estalo com os dedos, abriu um sorriso aberto e disse: Eu confio em Rem, então quero fazer algo para ganhar a confiança de Rem. É por isso que eu fiz esse tipo de promessa.

- ...

- Eu disse antes, não disse? Eu sou o tipo de pessoa que mantém suas promessas. Além disso, eu tenho a bênção de Emilia. Então eu não nem me preocupo quando eu digo "não se preocupe com isso".

- Hehe...

Estupefata, Rem era incapaz de segurar seu riso. Ao ver Rem sorrir, Subaru a acompanhou com sua própria risada.

- Então é uma promessa. Eu realmente quero te perguntar muitas coisas.

- É. Eu também quero te pedir muitas coisas, como o meu cabelo.

- Cabelo...?

- Esse é o motivo pelo qual você fica me encarando o tempo todo.

Ao ouvir a voz de Subaru, Rem ficou sem palavras enquanto seus olhos se alargavam um pouco. Com seus olhos azuis preenchidos por c ulpa, ela deixou escapar.

- Subaru-kun, Rem estava...

- Tudo bem. Você estava preocupada com o meu eu desajeitado, com um corte de cabelo horroroso, então você ficava me encarando... não é?

Em seu primeiro loop, Subaru fez uma promessa com Rem. Foram as palavras de Ram que começaram isso, que começou a saga do seu corte de cabelo.

Subaru finalmente entendeu o que as palavras de Ram queriam dizer. O verdadeiro significado.

Era evidente que, na época, as encaradas da Rem escondiam um sentimento de desconfiança em Subaru, então Ram imediatamente disse que seu cabelo estava desarrumado para enganá-lo.

Agora ele sabia, a oportunidade dessa promessa nasceu de uma mentira.

É por isso... Sorrindo por dentro, Subaru queria fazer uma promessa nascida de uma mentira se tornar algo significativo e verdadeiro. 

- Quando retornarmos, vou deixar você escolher o estilo dele. Faça de um jeito no qual Emilia não resista em querer me abraçar.

- ... Mas Rem não pode fazer nada quanto ao seu caráter.

- Por favor, seja mais gentil quando falar uma coisa dessas!

Era uma conversa em que os dois não sabiam aonde terminaria.

Ao ver as intenções de Subaru, Rem fez uma piada e deixou Subaru extremamente feliz.

- Assim que eu deixar as crianças com o pessoal da vila, eu me reúno com você imediatamente. Não se esforce muito.

-- Fim do Flashback -- 

[Nota para aqueles que estão lendo isso depois do anime e não da Light Novel: No episódio 10 do anime, Subaru corrige isso ao pedir para Ram solicitar a ajuda de Rem no corte de cabelo. Na Light Novel, porém, isso não acontece. Em vez disso, o que acontece acima é durante a floresta.]

Durante o tumulto de Mabeast, para conseguir salvar as crianças fora da vila, Subaru e Rem entram na floresta a fazem essa promessa. E naquela época, o amor de Rem por Subaru ainda não havia florescido. 

Portanto, cumprir esse tipo de promessa para Rem possui um significado importante.

- Não é que eu esqueci. É porque eu tenho corrido pra lá e pra cá ultimamente e ainda não tive a chance.

- Não é como se Subaru-kun precisasse se preocupar. É melhor que você seja você mesmo, onde não pense antes de falar, cause uma confusão, e depois tente correr atrás de tudo para arrumar.

- Eh?! Por que eu me sinto nostálgico nessa dor no meu coração por essas palavras duras?!

Empurrando seu peito nas costas da cadeira, Rem se inclina levemente para frente para olhar Subaru e dá uma risada.

Mesmo que essa Rem seja incrivelmente fofa, eu não posso dizer isso em voz alta! Pensou em segredo Subaru.

Para cumprirem a promessa do corte de cabelo, os dois foram até o pátio da Mansão. Uma cadeira estava posicionada no meio de um gramado preparado, e com uma toalha em volta do pescoço de Subaru, tudo estava pronto.

- Depois de mudar o estilo de cabelo, vou passar uma impressão de uma pessoa diferente. É bem comum em anime e manga, heh.

- Se for feito dentro de casa é difícil de se limpar. Seja preparando antes para evitar que suje, ou limpando depois. Aqui do lado de fora nós só precisamos varrer o chão e lavar sua cabeça. O quão curto eu devo cortar?

No ponto de vista de Rem, o cabelo de Subaru já é um pouco curto. Tem só uma parte que está desarrumado e passa uma impressão ruim.

Assim que essa partezinha for aparada, ficará perfeito.

- É... eu não sou muito bom em especificar o tamanho do cabelo. Rem pode cortar na altura onde eu pareça demais!

- Subaru-kun sempre é demais.

- O propósito do meu corte foi negado?! Terminou antes mesmo de começar?!

A cadeira balançava juntamente com Subaru. Segurando em seus ombros para evitar que se mexesse, Rem observou a cabeça de Subaru com cuidado.

Apesar de sua resposta anterior não ter sido uma mentira, seu cabelo definitivamente não estava no seu melhor (assim pensa ela).

- Essa responsabilidade é bem grande.

- Er... Rem-san? Vai ficar bem, não precisa pensar muito nisso. Não se preocupe tanto, apenas faça como você disse antes e dê uma aparada nas pontas...

Mesmo que Subaru tenha proposto uma solução cuidadosamente, sua voz não alcançara Rem.

Borrifando água gentilmente no cabelo de Subaru, Rem pega uma tesoura prateada e faz uma pose de preparo.

O Melhor Dia da Vida de Rem

- .............

Ao encarar o seu desafio, suas mãos pararam. Melhor dizendo, não queriam parar. Sua mão direita tremia violentamente. "Click, clack, click, clack". Rem estava impressionada com sua própria mão trêmula. Apesar de ela se manter calma, todo seu nervosismo estava redirecionado em sua mão direita.

- Subaru-kun, isso é ruim. Minha mão não para de tremer.

- Hum? Acho que tremer um pouco tudo b-... EI, isso não é tremedeira demais?! Você está bem?! Você tá tremendo tanto que poderia quebrar um crânio assim! Não me diga que você não está acostumada a cortar o cabelo dos outros?!

- Rem é responsavel pelos cortes da onee-sama e Roswaal-sama... mas essa é a primeira vez de Subaru...

- Eu queria ver que barbeiro ou cabeleireiro iria sobreviver se disesse essas coisas!

Um cabeleireiro que se recusasse a cortar o cabelo de primeiros clientes, sem dúvida iria a falência. Mas isso não é important agora. A mão de Rem continuava tremendo pela tarefa em questão.

- Bem... por mais que eu tenha dito "tudo bem se você estragar, não se preocupe com isso", acho que vai ser difícil convencer você. Mas para ficar assim tão nervosa... mesmo se o corte sair mal, depois de uma semana já tá tudo certo.

- Mas, por causa de Rem, Subaru talvez tenha que aguentar uma semana como careca...

- Ei, ei! Se estiver ficando tão próximo do careca, é porque tá na hora de parar, não?!

Ela estendeu a mão novamente para segurar a cadeira que Subaru estava se mexendo. Rem reuniu forças em sua cabeça para conseguir parar suas mãos trêmulas. De repente, ela sem querer soltou as palavras que ecoavam em sua cabeça. Elas eram...

- Por acaso Subaru se sente mal ou preocupado por confiar em Rem, esse tipo de pessoa, pra essa atividade?

Essas foram as palavras que ela disse sem querer. Mas após serem ditas, deixaram nela um rastro de depressão e uma grande pressão nos ombros de Rem.

Sim, deve ser isso. Não importa o quanto eu olhe, o fato que Rem já tentou matar Subaru-kun não mudou.

Rem quase matou Subaru duas vezes na floresta Mabeast. E se contar a o ato final de Subaru de ser a isca para mrorer, então seriam três vezes.

- Duas vezes na floresta, Subaru-kun viu a natureza de Rem. A personalidade Oni de Rem... e mesmo antes disso, Rem também...

A presença de Subaru-kun na mansão era algo que incomodava, e Rem se perguntava se devia matá-lo. Essa suspeita com certeza vai se amarrar em volta do coração frágil de Rem, e vai explodir algum dia

Se Rem não resolver isso aqui e agora, Rem com certeza vai fazer com que Subaru morra. A essa altura, esse sentimento de culpa infestou Rem. Subaru-kun, como vítima, naturalmente deve estar em ainda mais dor do que eu. Então por quê? Por que ele ainda mostra esse sorriso para Rem?

Como ele é capaz de sentar em frente a Rem tão descuidadosamente?

- Rem.

Uma voz calma. Subaru chamava o nome dela. Ela estava perdida, e não conseguia responder.

Agora que eu fiz essa confissão, o que ele dirá?

Assustada.

Não quero ouvir.

Não quero destruir essa ilusão de intimidade.

Seu coração batia furiosamente de medo.

- Em minha cidade natal, existe um conto chamado 'O Rei com Orelhas de Burro'.

- Sim... Hã...?

- Era uma vez um rei com orelhas longas de burro. Quando o rei precisava de um corte de cabelo, ele chamava um cabeleireiro para vir ao palácio. Mas, não importa quem, todos riam assim que viam as orelhas de burro do rei. Como resultado, eles eram decapitados. Dentre eles, havia um cabeleireiro que finalmente conseguiu segurar a risada. Mas inevitavelmente, o cabeleireiro não conseguia segurar a risada. Então, ele subiu até uma montanha, cavou um buraco, e gargalhou lá dentro.

Subaru fez uma concha com as mãos e gritou: "O rei tem orelhas de burro!! Ele gritou de novo e de novo. Por fim, até mesmo as árvores ao seu redor haviam decorado a frase. Ele então fez uma flauta dessas árvores, e ao soprar nela, elas emitiam o som 'O rei tem orelhas de burro!' E no final, todas as pessoas daquele país usavam a flauta, e o segredo havia sido revelado para todos."

- Eh...?

Apesar de ter sido uma história interessante, Rem era incapaz de entender a lição moral por trás dela, e olhava confusa para Subaru.

Ao ver a expressão de Rem, Subaru sorriu.

- Na testa da Rem tem um chifre de demônio!!!

- !!!

Subaru gritou de novo, fazendo com que Rem desse um pulo. Devido a reação dela, Subaru deu uma risada e bateu em seu joelho.

- O rei tinha vergonha de suas orelhas de burro, então ele decapitava todos que espalhavam seu segredo. Rem, você tem vergonha de ser um Oni?

- N-nada disso. Rem ter vergonha de quem ela é... isso não é algo tão problemático.

- Você acha imperdoável eu contar esse seu segredo?

Rem dá uma resposta firme ao olhar de Subaru. E ele se senta novamente.

- Não. Rem acredita que Rem vir de uma tribo Oni não é algo que deva ser mantido escondido.

- Então não há nenhum problema! Já que não há nenhuma possibilidade que Rem me machuque por conta de suas origens, eu não tenh omotivo para me preocupar. Ahh... me sinto aliviado.

- M-mas, as coisas que Rem fez a Subaru-kun...

- Se você enfurecer uma garota, você vai receber um olhar assustador. É algo que garotos aprendem de seus pais quando ainda são jovens. Já que é minha culpa por esquecer algo tão importante, vamos dizer que estamos quites, ok?

Uma fala tão óbvia de querer arrumar as coisas deixou Rem sem palavras.

Subaru olhou de volta para a Rem, ainda em silêncio, e continuou: "bem... como está essa sua mão trêmula?"

- Ah...

Seu olhar desceu para suas mão após ouvir essas palavras. Foi quando Rem notou que sua tremedeira havia parado. Mesmo com a ponta da tesoura apontada para a cabeça de Subaru, seus dedos não mostravam qualquer sinal de hesitação.

As mudanças que as palavras de Subaru fizeram ao coração de Rem eram até irreconhecíveis. Afinal, tudo que ele já disse já fizera um impacto grande nos sentimentos de Rem. Essas intermináveis ondulações agitavam seu coração.

Mas, sua própria timidez sendo engolida pela doença de seu coração e desaparecendo sem deixar rastros, era algo que Rem sabia.

Sabendo que a tremedeira de Rem havia parado, Subaru relaxou e se apoiou de volta na cadeira, confiando-se a Rem. Ele apontou a sua cabeça.

- Bem, por favor me dê um estilo legal de cabelo. Um tão incrível que Emilia-tan não poderá evitar de querer me acariciar.

O garoto inocente não notou o quanto suas palavras eram como espadas afiadas atingindo o coração da garota atrás dele. Mas mesmo essa sua inocência era algo que ela amava. Rem sorriu.


- ... Subaru-kun, não importa quando, é sempre uma pessoa fascinante.

0 comentários:

Postar um comentário