Como funciona de verdade a Indústria de Anime? Entenda todo o processo PARTE 5


Orçamento é algo muito importante na produção de um anime, pois sem dinheiro nada acontece, feijoada. Mas o orçamento não é sempre o fator decisivo em determinar o visual ou qualidade do anime. Existem outros fatores cruciais que podem afetar significativamente a qualidade, que os espectadores geralmente não enxergam.

O primeiro fator é o planejamento e administração do tempo. Tempo é um aspecto crucial que geralmente vira a maior fonte de problema na produção de um anime. Existem pelo menos 30 séries de anime sendo produzidas no Japão por temporada, e por isso, a produção deles é muito afetadas pela limitação de tempo. Nessas condições, a maneira como a equipe vai planejar e administrar a agenda do projeto é um ponto chave para manter a qualidade visual do anime. Problemas como animações não naturais e mal uso de CG, além de outros, são geralmente causados pela falta de tempo do que de orçamento.

Como funciona de verdade a Indústria de Anime

Não basta apenas que os animadores desenhem bem, eles precisam desenhar rápido. E por conta desse tempo apertado, os animadores são obrigados a encontrar um balanço entre qualidade e quantidade de seus trabalhos. 

Animadores, especialmente os menos experientes, acabam encontrando dificuldades em encontrar esse balanço. Quando eles focam na qualidade, a quantidade diminui. E quando focam em quantidade, não conseguem entregar qualidade. É por isso que você acaba vendo esses problemas em alguns animes.

Além disso, a falta de tempo também faz com que o estúdio terceirize a animação para outros países como Coréia do Sul ou Filipinas. Infelizmente, a qualidade de trabalhos terceirizados tendem a serem abaixo da média pela falta de experiência dos animadores desses países. O ambiente não é tão "apoiador" como no Japão, onde os jovens animadores aprendem bastante com seus "senpais".

Como funciona de verdade a Indústria de Anime

Sem uma boa administração de tempo, mesmo um projeto com um grande orçamento pode ter sua qualidade visual comprometida. Vamos tomar como exemplo Gundam SEED e SEED Destiny. SEED foi uma série ambiciosa, com uma base bem sólida da Bandai e uma equipe talentosa. Infelizmente, os dois projetos são conhecidos por sua terrível agenda. Dizem que enquanto o projeto estava andando, muitos membros da equipe protestaram sobre a administração e planejamento de Mitsuo Fukuda, o diretor. O que acontece quando um grande projeto, com uma boa base e uma equipe talentosa é recepcionada com uma péssima administração de sua agenda?

Tudo vira uma bagunça.

Outro exemplo, mais conhecido ultimamente, vem da Toei Animation e os últimos anos. Toei é um nome grande que dominou a indústria nos anos 60 e sua equipe hoje conta com mais de 500 pessoas. Infelizmente, dessas 500 pessoas, apenas algumas possuem grandes habilidades. O grande problema da Toei é incorporar muitos projetos de uma vez só. Em 2015, o número de projetos da Toei excedeu sua própria capacidade, com Dragon Ball Super, Marvel Disk Wars, World Trigger, Go Princess Precure e o filme Tanken Drilland, e outros. Com essa montanha de projetos, administrar a agenda se torna um desafio ainda maior, fazendo com que a Toei precisasse terceirizar alguns trabalhos e dividir seus grandes talentos em vários projetos. Com essas séries se amontoando, agendas lotadas, péssima qualidade de trabalho terceirizado e a falta de animadores de qualidade em alguns projetos fizeram com que a qualidade dos animes da Toei caíssem demais nos últimos anos.

Esses problemas parecem ter vido a tona para a comunidade com o polêmico episódio 5 de Dragon Ball Super. Dragon Ball é uma franquia extremamente popular e é difícil imaginar que um projeto desse tamanho fosse tratado como algo pequeno e de baixo orçamento. E o quinto episódio não ficou em mão de pessoas aleatórias. O diretor de animação, Naoki Tate, é considerado um dos melhores animadores da Toei e contou com outros como Ken Otsuka nesse episódio. No entanto, mesmo essa equipe foi incapaz de lidar com uma agenda completamente desorganizada e o resultado foi o que vimos.

Como funciona de verdade a Indústria de Anime

Por outro lado, é possível atingir uma qualidade visual impressionante com pouco orçamento, desde que a agenda e o tempo sejam organizados e bem administrados. Veja os trabalhos da Kyoto Animation como exemplo. Muitos acreditam que a KyoAni consegue manter a consistência de qualidade graças ao dinheiro que conseguiram fazer com seus sucessos Haruhi e K-on!. Mas como foi mencionado anteriormente, esses projetos foram adaptações de obras de outras empresas, o que significa que a maioria do lucro foram para grandes empresas de mídia (lembram da parte dos comitês?). A qualidade deles é possível por diversos fatores.

Como funciona de verdade a Indústria de Anime

Primeiro, como também já falamos em outras partes, a KyoAni usa exclusivamente sua própria equipe "de casa" para seus projetos. Segundo, a KyoAni não é apenas um estúdio de animação, mas também operam uma "escola de animação" que treina e ensina jovens animadores. Amagi Briliant Park é um trabalho que foi realizado basicamente por esses jovens. E por último, a KyoAni é conhecida por sua disciplina incrível em um ponto chave: administração de tempo. Eles não trabalham em vários projetos de uma vez e dão uma pausa entre um e outro. É assim que a Kyoto Animation consegue manter a qualidade visual impressionante e de forma constante.

Na próxima parte, concluiremos essa série.

Texto Original por Yoza Widi.
Traduzido e Adaptado para a Você Sabia Anime?

0 comentários:

Postar um comentário