Diretor explica queda de qualidade ao longo de um anime




Xin Wang, diretor chinês de Hitori no Shita: The Outcast, comenta o motivo dos animes perderem a qualidade após o segundo episódio.


Wang deu uma entrevista meses atrás explicando sobre o projeto que fez parte e os estilos diferentes de produção de anime nos estúdios chineses e japoneses. Enquanto os chineses trabalham em diferentes partes de um projeto de forma paralela, os japoneses são mais "rígidos" e trabalham num esquema passo a passo, que pode atrapalhar a agenda e afetar a qualidade do anime.

Veja a entrevista:

P: Recentemente, muitos animes japoneses são transmitidos na China. Há também várias colaborações de produção entre China-Japão. Por acaso os estúdios japoneses tiveram que se adaptar ao ritmo de transmissão chinesa?

Wang: O lado japonês quer mudar, mas o quanto eles podem mudar é limitado. É por isso que essas colaborações tem tantos problemas.


O Japão possui um sistema de trabalho muito rígido, completamente diferente da indústria chinesa. Devido a razões históricas, as empresas de animação da China são mais influenciadas pela produção ocidental, que é mais simples. Em contraste, o processo japonês é bem mais complicado. Eles vão até o limite em cada detalhe e pessoa. Se um estágio da produção empaca, o processo inteiro é afetado. Essa é uma fraqueza no processo deles. Quando o processo é tranquilo e todos entregam no prazo com qualidade, é tudo lindo e maravilhoso. Mas falta flexibilidade. Tudo precisa seguir uma linha linear, passo a passo. A produção chinesa é mais paralela. Várias coisas são trabalhadas ao mesmo tempo. Algumas coisas já são passadas para o "próximo departamento" quando estão 20% completas. No Japão, tudo precisa estar finalizado antes de ser passado o bastão, então eles perdem muito tempo esperando.


Visite a Attack Comic Shop para comprar seus mangás e novels


O que Wang basicamente quer dizer, é que esse formato rígido de produção faz com que muitos projetos aconteçam de forma acelerada.


P: De que maneira isso afeta uma série?

Wang: O maior problema é que os primeiros dois episódios serão fantásticos, mas a qualidade começa a cair do episódio 3 pra frente. Muitas séries são assim. Isso porque nos primeiros dois episódios eles tem bastante tempo de sobra, então eles levam o tempo que precisam para entregar tudo detalhado. Assim que o cronograma aperta perto do episódio três, você começa a ver os efeitos na qualidade.

Wang diz que isso é um problema bem comum e criticado nos animes modernos. Vários episódios ainda são trabalhados no mesmo dia em que vão ao ar!


Já que animes de co-produção parece estar se popularizando, e empresas com Netflix investindo mais forte na indústria, essa pode ser uma boa oportunidade para mudar o modelo de produção dos animes no Japão, para um mais eficiente.

0 comentários:

Postar um comentário