Leia isso antes de jogar NieR: Automata




Caso você vá jogar Nier Automata, saiba que ele é uma sequência de Nier, e Nier é um spin-off da série Drakengard, que possui 3 jogos e várias light novels.

Você não precisa jogar nenhum dos outros jogos para poder jogar Automata, porém saber da história desde o começo vai te ajudar a entender porque o mundo em Automata está deste jeito.

O resumo abaixo é uma tradução do resumo feito no site Twinfinite, caso prefira um vídeo, tem o resumo feito pela youtuber Valkyrie Aurora (audio e legendas em inglês)




Entenda a história de Drakengard antes de começar a jogar NieR: Automata.

INTRODUÇÃO

Compreender o mundo de Midgard e a descrição de Tokyo de NieR não é uma tarefa fácil. A história desse mundo se expande por três jogos diferentes (até agora), e cada um deles possui vários finais que resultam em linhas do tempo diferentes. Como objetivo desse post, vamos examinar a linha do tempo que nos traz aos eventos de NieR: Automata. Isso significa que só iremos cobrir os eventos importantes de cada game que levaram a isso. Mas não esqueça que os outros finais também possuem pontos chaves na história que irão te ajudar a entender melhor esse mundo.


Alguns dos eventos importantes que falaremos são a aparição da Flower em Drakengard 3, a criação do Cult of the Watchers, a derrota da Queen-beast e a aparição da Legion, assim como o começo do Project Gestalt e os eventos do NieR original. Alguns eventos ficam um pouco confusos após o final de NieR, mas faremos nosso melhor para explicar essas conexões entre o original e Automata.

PARTE UM: A FLOWER E OS INTONERS

A antagonista principal da série Drakengard nao é um vilão louco ou algo do tipo; em vez disso, é uma pequena flor branca que parece inofensiva a primeira vista. Ninguém tem muita certeza de onde a Flower veio ou o que ela é exatamente, exceto de que ela é o resultado de alguma forma de magia negra. De qualquer forma, a parte importante aqui é que a Flor é do mal e quer destruir o mundo. A história de Drakengard e NieR começa com essa Flor.

A Flower (chamaremos a Flor de Flower aqui) ganha poder ao se agarrar a uma jovem e linda trabalhadora que estava a beira da morte. Ao se implantar no olho da garota, ela é revivida e ganha o poder de "Song". Após seu renascimento, a garota deixa para trás seu antigo nome e começa a se chamar de "Zero". Essa é a protagonista de Drakengard 3. No entanto, após descobrir as intenções da Flower e como isso poderia trazer destruição ao mundo, ela tenta removê-la de seu olho para tentar matá-la. Todas as suas tentativas falham, e então Zero tenta cometer suicídio. A Flower responde dando a luz a cinco irmãs chamadas One, Two, Three, Four e Five. Bem original, né?


Como resultado, Zero decide caçar por conta própria suas cinco irmãs (ou clones, sei lá) enquanto procura uma forma para destruir de uma vez por todas a Flower. Ela recebe a ajuda do dragão Michael, que jura matar Zero após eles conseguirem caçar todas as irmãs.

As irmãs de Zero foram todas abençoadas com o poder da "Song" também, e eram conhecidas em Midgard como Intoners. Como as cinco irmãs mataram os malvados donos das terras de lá, elas são adoradas por Midgard, e Zero era apontada como uma criminosa justamente pelo seu desejo de assassiná-las. Quando Zero inicia sua primeira missão de assassinato contra as cinco Intoners, elas respondem de volta matando Michael e deixando Zero ferida. Porém Michael não morre de verdade. No mundo de Drakengard, dragões possuem o poder de reencarnação. Michael renasce como Mikhail e se reúne com Zero para se esconderem e se recuperarem.

Um ano depois, Zero retorna sua sede de sangue e consegue derrotar as irmãs uma a uma. É aqui que as coisas começam a ficar um pouco confusas.


No Ending A (final A), Zero mata One mas é imediatamente morta por Brother. Brother é na verdade um clone de One, criado por ela mesma como uma garantia caso ela fosse derrotada um dia. Depois de matar Zero e Mikhail, Brother estabelece seu controle na cidade e forma o Cult of the Watchers. O Ending A é considerado o final principal de Drakengard 3, pois parece dar sequência aos eventos de Drakengard. No entanto, Drakengard 3 possui alguns outros finais que podem encaixar tão bem quanto, e vamos falar sobre esses mais tarde.

Existe um outro ponto importante em Drakengard 3. Após desbloquear alguns finais, somos apresentados a personagem Accord. Ela é uma garota misteriosa que mais tarde descobrimos ser uma androide. Não sabemos exatamente seus motivos, mas é bem claro que Accord é encarregada de monitorar as linhas do tempo do universo Drakengard e gravar seus eventos. É revelado no Ending D que existem vários androides como Accord. Não sabemos o quão relevante isso é, mas considerando o fato de que NieR: Automata possui um MONTE de androides, isso pode ser um detalhe importante para mantermos fresco na memória.

PARTE DOIS: O SISTEMA SEAL E A QUEEN-BEAST

Midgard está envolvida em conflitos, e a guerra entre o Império (obviamente do lado errado, porque são nomeados de "Império") e a União parece não ter fim. Uma coisa importante para lembrar sobre o Império é de que eles são governados pelo Cult of the Watchers, que foi primeiramente estabelecido pelo Brother anos atrás. Mas o que exatamente esse culto faz e o que são os Watchers?

De uma forma simples, Watchers são seres de outro mundo que podem ser invocados no mundo humano caso você possua o poder para isso. Zero e suas irmãs eram seres que possuiam a habilidade de invocá-los por conta do poder da "Song". Em Drakengard 3, as irmãs conseguiam conectar seus poderes disciplinadamente para chamar um anjo dos céus a ajudá-las nas batalhas. Apesar delas serem referidas como "anjos" no jogo, o Cult of the Watchers foi estabelecido para adorar esses seres, e gradualmente foram ficando conhecidos como "Watchers".


Nesse período de Drakengard, Brother já morreu faz tempo e o Cult of the Watchers possui uma sacerdotisa chamada Manah, mas falaremos mais dela mais tarde. A guerra entre a União e o Império é aterrorizante, pois o Império procura destruir os quatro Seals (selos) em Midgard para conseguirem fazer com que a Seeds of Destruction (sementes da destruição) apareçam no mundo. As Seeds of Destruction são conhecidas como ferramentas deixadas pelos antigos deuses com objetivo de acabar com a humanidade. O Cult of the Watchers busca destruir esses Seals para que possam invocar Watchers no mundo humano.

Drakengard traz Caim como protagonista principal. Após seus pais serem mortos pelo Império, ele é enfraquecido mas encontra um dragão vermelho a beira da morte perto de seu castelo. Ao formar um pacto, Caim e o dragão Angelus criam uma conexão entre eles e são salvos de suas situações de quase morte. Outro ponto importante para lembrar é que a irmã de Caim, Furiae, é uma das quatro Seals que previnem a aparição das Seeds of Destruction. Furiae é depois sequestrada pelo Império.

Em sua jornada para resgatar sua irmã e derrotar o Império, Caim se alia a um sacerdote, um pedófilo, uma mulher que come bebês, e um jovem chamado Seere. Eu sei, tente não pensar muito nisso.

Quando o grupo finalmente encontra Manah, eles percebem que a mente de Manah estava, na verdade, sendo manipulada pelos Watchers esse tempo todo, e que eles eram os responsáveis em comandar o Império para destruírem os Seals. Manah sofria pela falta de amor e atenção de sua mãe, que a deixou em um estado mental vunerável. É revelado também que Seere e Manah são gêmeos, e que Seere era o filho favorito dos dois.

Após matar Furiae e quebrar o quarto e último Seal, as Seeds of Destruction são reveladas, invocando a Queen-beast e outros montros mais grotescos. A Queen-beast é o chefão final e, com o lançamento de Drakengard 3, há muita especulação de quem ela realmente é.

Obviamente a Queen-beast é um monstro enviado pelos Watchers, o que significa que ela deve ter alguma ligação com a Flower. No Ending C de Drakengard 3, Zero é totalmente controlada pela Flower e fica fora de controle. A teoria de Queen-beast ser uma Zero completamente dominada pela Flower é bem plausível. Mas a Queen-beast também poderia ser a reaparição da Flower após ela ter sido selada no Ending D. Nesse ending, Mikhail derrota Zero e suas irmãs e nos é contado por Accord (lembra dela?) de que a Flower havia sido selada em outro mundo, ou melhor dizendo, linha do tempo.


Considerando as similaridades entre as batalhas da Queen-beast e a Flower Zero, é possível de que a Flower da linha do tempo do Ending D de Drakengard 3 tenha sido enviada em uma linha do tempo alternativa onde os eventos de Drakengard acontece.

De qualquer forma, o Ending E de Drakengard é o que vamos focar aqui. Nesse ending, a Queen-beast é invocada e Caim e Angelus entram em uma dimensão completamente nova para lutar contra ela. Os três fazem uma batalha e após derrotar Queen-beast, um par de caças aéreos entram em cena para derrubar Caim e Angelus. Isso marca o fim de Drakengard e nos traz aos eventos de NieR.

Observação: Fica bem implícito de que Caim e sua irmã tinham um caso, mas não precisamos nos atentar a isso, né? wink wink.

PARTE TRÊS: PROJECT GESTALT

Então, os militares derrubam nossos heróis Angelus e Caim. Nesse mesmo momento, a derrota Queen-beast se dissolve em estranhas partículas, conhecidas como Maso, ou elemento demoníaco. Esse elemento demoníaco começa a afetar os humanos do nosso mundo e é responsável por causar uma doença chamada White Chlorination Syndrome (Síndrome da Cloração Branca). Os infectados por essa doença são forçados a fazer um pacto com um deus de outra dimensão. Eles então escolhem entre se tornar um servo sem vontade própria para aquele deus ou se tornar uma estátua de sal. A White Chlorination Syndrome trouxe também a Legion, que é basicamente um grupo de humanos que viraram monstros pelo pacto que fizeram. A Legion é liderada por um monstro chamado Red Eye (olho vermelho). Há uma forte teoria de que Red Eye seja Caim, mas é apenas algo que o pessoal trouxe, não existe uma confirmação oficial.

Já Angelus teve seu corpo recolhido pelos militares. Foi dado início a pesquisas mágicas em Tokyo, afinal, é uma série de ficção.


De qualquer forma, as coisas no mundo humano estavam bem complicadas, então o governo tinha que fazer algo. E é aí que surge o Project Gestalt. Um projeto científico que tentaria separar as almas humanas de seus corpos e as estocarem em algum lugar seguro até que a ameaça do elemento demoníaco fosse embora. Já que os corpos físicos eram os mais afetados pela doença, novos corpos foram construídos para essas almas. No entanto, as almas conseguiam apenas serem colocadas nos novos corpos depois de lidarem com a ameaça do elemento demoníaco.

As almas humanas eram conhecidas como Gestalts e os corpos novos criados de Replicants. Para combater a Legion e Red Eye, as almas dos humanos foram retiradas de seus corpos, deixando apenas os Replicants e androides lutando contra os monstros. Finalmente, Red Eye e Legion são derrotados, terminando assim a ameaça da White Chlorinaton Syndrome. E finalmente, a Flower é derrotada.

No entanto, pouco antes da derrota da Legion, um homem (no qual vamos nos referir por Nier) e sua filha, Yonah, buscam ajuda em uma organização de caridade em Shinjuku. Yonah estava sofrendo da doença, e Nier veio para esse centro com a esperança de conseguir um pouco de comida e remédios para ela. Há alguns outros sobreviventes com eles também. No entanto, a organização de caridade era na verdade uma fachada do governo que queria conduzir um experimento científico para encontrar o "Gestalt Original". Para esse fim, a organização entrega livros chamados Grimoire Noir para esses sobreviventes, que permite que eles ganhem poderes mágicos. Ao interagir com uma cópia da Grimoire Noir, muitos desses sobreviventes se tornaram Gestalts sem qualquer controle de suas mentes.

Nier e Yonah conseguem escapar e se refugiam em um supermercado abandonado. Esses "Gestalts ressurgidos" (posteriormente conhecidos como Shades) os encurralam, e Nier não tinha outra escolha senão usar sua cópia de Grimoire Noir para lutar contra eles. Diferentemente dos outros sobreviventes, Nier foi capaz de manter sua sanidade e livre arbítrio mesmo usando Grimoire Noir, fazendo ele o "Gestalt Original" aos olhos dos cientístas. Após afastar os Shades, descobrimos que Yonah também havia interagido com Grimoire Noir, fazendo com que ela também tivesse uma recaída como Gestalt. Nisso, os cientístas do Project Gestalt decidem colocar Gestalt Yonah em hibernação até que a ameaça da doença passasse, e ela pudesse ser colocada de volta em seu corpo Replicant. Gestalt Nier, por outro lado, ajuda a organização a estabilizar os outros Gestalts e impedí-los de terem a recaída.

No entanto, os Replicants começam a se tornar conscientes, e é aí que surgem os problemas. A recaída Gestalt é um fenômeno que pode acontecer devido aos defeitos no processo de transformação Gestalt, que é o que aconteceu com Yonah e outros sobreviventes. Uma recaída também pode ocorrer quando o Replicant se torna consciente, levando a uma perda de controle do Gestalt, tornando eles em Shades. Esses Shades então começam a atacar os Replicants. Isso faz com que os Replicants sofram algo chamado Black Scrawl, que é basicamente um mal funcionamento gerado pela recaída Gestalt. (Bem confuso né? Pois é.)

Os eventos de NieR iniciam quando Gestalt Nier percebe que a recaída de Yonah não pode ser impedida, então ele sequestra a Replicant Yonah na tentativa de colocar sua filha de volta em seu novo corpo. Isso faz com que Replicant Nier o procure para pegar de volta sua filha. No meio do caminho, Replicant Nier recruta a ajuda de um livro magico chamado Grimoire Weiss, um jovem chamado Emil e um hemafrodita chamado Kaine. 

Assim que eles localizam Gestalt Nier, que é conhecido pelos Replicants como Shadowlord, Replicant Nier descobre mais sobre o Project Gestalt. Também é revelado que os administradores da vila de Replicant Nier, Devola e Popola, são na verdade androides que receberam a tarefa de lidar com os Replicants até que eles conseguissem se "fundir" com os Gestalts. Após derrotar Devola e Popola em uma batalha, de ótima trilha sonora diga-se de passagem, o grupo parte para enfrentar Shadowlord (Gestalt Nier).


Após lutar contra Shadowlord, Gestalt Yonah (que atualmente está habitando o corpo de Replicant Yonah) diz a seu pai que não é justo para ela tomar o corpo de alguém dessa forma. Gestalt Yonah então deixa o corpo Replicant e se tornar uma Shade que desaparece no sol. Ela provavelmente morre nessa altura do campeonato.

Nos Endings A e B, Replicant Nier mata Shadowlord, praticamente condenando a humanidade já que ele era a pessoa que estava ajudando a estabilizar os Gestalts. Replicant Nier e sua filha vivem seus dias de paz, mas Replicant Yonah continua sofrendo de Black Scrawl. No momento, não é claro se isso é considerado um fim principal ou não.

Os endings D e E são um pouco diferentes. Durante a história, descobrimos que Kaine na verdade possui um Shade vivendo dentro dela. No fim do jogo, ela começa a ter uma recaída também, e a única maneira de salvá-la é matando-a. Se a matarmos, pegamos o Ending C. No entanto, o Shade dentro de Kaine conta a Replicant Nier que ele pode ajudar Kaine a se tornar uma humana normal novamente, se ele estiver disposto a dar sua própria existência por ela. Isso leva aos Endings D e consequentemente E.

Ao abrir mão de sua própria existência, ninguém no mundo se lembra mais de Nier, nem mesmo Yonah. Fica implícito que Kaine e Yonah retornam a vila depois disso, e Kaine toma conta da jovem garota. O Ending E é na verdade um final secreto que só é revelado em Grimoire Nier, um livro exclusivo no Japão que fala mais sobre a história do jogo. 

No Ending E, Kaine não consegue se livrar da sensação de estar esquecendo de algo ou alguém, e nisso ela é levada a Forest of Myth. Sugere-se nesse ending, que o sistema Replicant inteiro é resetado, e a execução dela começa nessa floresta. Aqui, Kaine se reune com um Nier um pouco mais jovem, cuja as memórias foram restauradas com as que ele já possuia de sua primeira visita a Floresta. A história termina aqui, mas podemos tirar a conclusão de que novos Replicants são criados para ajudar a salvar o Projeto Gestalt.

CONCLUSÃO - NIER: AUTOMATA E OUTROS DETALHES


NieR: Automata acontece muitos e muitos séculos depois dos eventos do primeiro jogo. Tudo que sabemos é que os humanos evacuaram a Terra e agora vivem na lua. Isso significa que, de alguma forma, Project Gestalt foi um sucesso e que os Gestalts foram capazes de se fundir com os Replicants. Mas isso significa que agora eles são seres humanos normais? Robôs? Ou alguma entidade superior?

De qualquer forma, os humanos agora vivem na lua pois a Terra foi dominada pelas máquinas. Para tentar recuperar o planeta, os humanos criaram androides (porque obviamente insistir no erro que causou o problema é a melhor solução) para lutar contra as máquinas. Os androides são conhecidos como Unidades YoRHa, e em NieR: Automata, nós jogamos com YoRHa Unit 2B. Esses androides são, supostamente, incapazes de sentirem emoções, mas é rapidamente provado o contrário na demo jogável onde 2B e 9S claramente possuem um senso de camaradagem entre si.

Existem vários detalhes interessantes que podemos pegar de outras cenas já lançadas de Automata, e existe um motivo para termos recapitulado histórias de Drakengard 1 e 3 em vez de simplesmente pular diretamente para NieR. Por exemplo, há dois novos personagens em Automata apresentados como Adão e Eva. Ambos são homens e se vestem com umas roupas de estilo meio dragão. Tanto Adão quanto Eva vestem luvas coberta de escalas de dragão e o design de Eva é ainda mais óbvio com calças cheia de escalas também. Não vemos dragões desde o ataque militar que derrubou Angelus em Drakengard, então essa referência a dragões novamente é algo curioso.

Mas essa não é a coisa mais interessante sobre Adão e Eva. Eva possui uma tatuagem em seu braço esquerdo, que quando estendido, revela um símbolo em seu peito. O símbolo se parece bastante com o dos Cult of the Watchers, o que é bem suspeito. Não apenas isso, os dois também possuem olhos vermelhos. Sabe quem também possui olhos vermelhos? Manah, One e Brother, três pessoas conectadas ao Cult of the Watchers.


Outro detalhe interessante que é possível notar são as imagens de flores presentes tanto em NieR quanto na sua sequência. No original NieR, a Lunar Tear é uma flor branca que Yonah acredita se capaz de curá-la de sua Black Scrawl. Ela é uma criança, então é óbvio que está enganada. No entanto, a Lunar Tear é um símbolo importante tanto para Yonah quanto Kaine. Apesar de podermos levar isso apenas como uma simples referência a flor parasita de Drakengard 3, não acho que seja apenas isso. Drakengard 3 foi lançado após o original NieR, então o simbolismo da flor já estava presente antes disso.

Estamos levantando tudo isso porque o trailer de NieR: Automata nos dá uma introdução da maioria dos personagens principais do jogo, e um deles é um robô chamado Pascal. Nas artes do personagem Pascal, ele é visto segurando uma pequena flor branca. Por acaso seria a Lunar Tear ou algo um pouco mais... sinistro? Talvez Yoko Taro apenas goste bastante de flores brancas? Talvez. De qualquer forma, é interessante que esse tipo de referência continua sendo trazida nesses jogos. 

Outro detalhe legal é que alguns dos inimigos máquinas encontrados perto do Deserto de Automata usam máscaras que se assmelham bastante àquelas usadas pelo povo Facade do primeiro jogo. Temos também a questão da Accord e seu amigo androide. Teriam eles sido criados pelos humanos também? Eles vão aparecer em NieR? Automata para gravar o progresso da humanidade e monitorar demais dimensões?

Ainda há tanta coisa que não sabemos do universo Drakengard, e será bem divertido ver como NieR: Automata se compara com o resto da série. Com sorte, esperamos que esse texto tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre esse universo complexo e te preparado para o Automata. 

0 comentários:

Postar um comentário