O fim de Naruto e de uma geração

O fim de Naruto e de uma geração



Nessa última quinta-feira, foi transmitido o último episódio de uma franquia extremamente popular, que acompanhou a vida de muitas pessoas por muitos anos. Naruto é mais um shounen que ganha um espaço na prateleira como um dos animes mais memoráveis, e reforça a importância dos animes shounen na indústria. Recomendo fortemente a ler esse artigo que eu fiz sobre esse gênero, antes de continuar a leitura.

Eu gostaria de deixar esse texto como um agradecimento ao autor, Masashi Kishimoto, por seu trabalho e por ter dado vida a personagens que inspiraram diversas crianças por uma geração inteira.

O fim de Naruto e de uma geração


Já deixo claro que não pretendo comentar em especial sobre o enredo, ou os personagens, mas sim o legado que essa obra vai deixar.

Se contarmos desde a primeira publicação oficial, a série está praticamente há quase duas décadas, vinte anos, acompanhando uma geração inteira de crianças, adolescentes e jovens adultos. A primeira vez que entrei em contato com Naruto foi em 2002, com 10 anos de idade. Meu tio tinha acabado de voltar do Japão e trouxe algumas lembranças para mim, entre elas, um volume em japonês de Naruto. Obviamente eu não conseguia entender nada do que estava escrito, e também não estava acostumado com a ordem de leitura dos quadrinhos... mas ter em mãos aquele mangá e passar os olhos naqueles personagens e lutas fantásticas, despertou meu interesse pela série. Dois anos depois, em 2004, meu eu de 12 anos já tinha um certo interesse por animes, despertado pela época de ouro da Toonami no Cartoon Network, com Sakura Card Captors, Pokémon, Samurai X, e etc.

Nessa época, a Internet ainda era algo jovem e não era de tão fácil acesso quanto hoje. Ainda lembro de ficar acordado da meia noite às seis da manhã para usar a internet discada e gastar somente um "pulso". Ahh... bons tempos (not really). Enfim, o que eu quero dizer, é que mesmo com uma banda larga de 512kbps ou 1mb, o acesso a conteúdos como animes legendados era escasso. Na época, eu utilizava muito o popular programa P2P chamado Kazaa, e lá foi onde digitei a primeira vez a palavra "Naruto" para conseguir encontrar alguma coisa, independente se fossem imagens de wallpaper, vídeos, qualquer coisa.

O fim de Naruto e de uma geração


Lá foi a primeira vez que consegui baixar episódios com legenda em inglês, era o melhor que eu conseguia fazer com meus conhecimentos limitados de internet (Lembre-se que o próprio YouTube ainda não existia). Eu não era um expert em inglês, mas conseguia entender o suficiente para acompanhar a história, e assim começou minha caminhada por Konoha. Como podem ver, eu acompanho Naruto há um bom tempo, desde meus 12 anos, e hoje estou com 25... é metade da minha vida seguindo um personagem e uma história. Claro que houve vezes que parei de assistir, voltei, fiquei puto, fiquei contente, mas o que importa é que ele esteve presente durante grande parte da minha vida, me influenciando de todas as formas possíveis.

Talvez nos últimos anos eu não estivesse mais na idade para gostar ou acompanhar Naruto (ainda mais com tantos fillers), mas sempre que eu assistia, eu voltava a ser criança, era como se fosse uma máquina do tempo, como se eu tivesse baixando e assistindo aquele primeiro episódio em inglês. E assim como eu, muitas pessoas estão nesse mesmo barco, muitos cresceram assistindo essa série e foi uma parte gigante de nossa infância e vida.

Naruto tem suas falhas, não podemos ignorar. Enredos que foram se atrapalhando cada vez mais com o passar do tempo, incontáveis fillers, algumas péssimas animações. Mas isso não destrói a imagem da obra que criamos e aprendemos a amar desde cedo. Até hoje, me pego indo no YouTube para ver a luta entre Gaara e Lee.

O fim de Naruto e de uma geração


Quando convivemos com pessoas por muito tempo, ficamos dependentes delas, como se fossem uma extensão de quem somos, criamos laços. O mesmo vale para personagens. Apesar de serem apenas desenhos, eles nos passam emoções verdadeiras. Ao lado de Naruto eu ri, fiquei ansioso, com medo, com raiva e chorei inúmeras vezes. Personagens que criamos um relacionamento tão profundo ao longo dos anos e que compartilhamos seus sentimentos. A morte de Jiraya foi, provavelmente, onde eu mais me envolvi com a série. Até então, havíamos assistido Naruto crescer sem um pai e Kakashi não era exatamente a figura de um padrinho, de um guardião que Jiraya passou. Acompanhamos esse relacionamento entre professor e aluno com diversos personagens onde eles atuavam como um segundo pai. A dor que Naruto sente durante os episódios seguintes é completamente refletida a nós. Sentimos igualmente a perda pois acompanhamos os dois por tanto tempo e por tantas aventuras. O mesmo vale para as outras mortes e perdas.

O ponto que eu quero chegar é que esses animes que duram anos, e que nos acompanham por longos períodos de nossas vidas, estão inteiramente conectados com os nossos sentimentos. Todos os temas abordados como amizade, amor, honra, altruísmo, dor, perda, saudades, perseverança, e outros, são coisas que aprendemos e carregamos com essas obras desde pequenos. Eles estão diretamente ligados a nossa formação de caráter. Assim como Dragon Ball, Naruto teve um papel fundamental na formação da minha pessoa. E o fim dele, representa o fim de uma época, de uma relação, de uma geração. O fim de Naruto, um dos poucos assuntos que ainda segurava nós, jovens adultos aos nossos tempos de criança, é a representação de que essa parte da vida acabou, ou pelo menos que deveria acabar. É como a vida funciona... e assim como foi para mim e para muitos, espero que sempre haja um shounen à altura... preparado para ensinar, trilhar e formar uma geração inteiramente nova de crianças.

O fim de Naruto e de uma geração

0 comentários:

Postar um comentário