Falta de Animadores preocupa a Indústria

Falta de Animadores preocupa a Indústria

A pouca quantidade de animadores é uma crise que pode impactar as futuras produções de animes

Como já cansamos de falar, em nossas várias postagens como essa e essa, a indústria está passando por uma crise, cuja a tendência é se agravar nos próximos anos, caso não seja feita uma mudança na forma de trabalhar e de lidar com os recursos.

As primeiras notícias de que a segunda temporada de Shingeki no Kyojin teria apenas 12 episódios não foi bem recebida pelos fãs. O comentário mais apontado pelos fãs era de que um intervalo de 4 anos deveria ter como retorno pelo menos 25 episódios, assim como a primeira temporada. Mas existe um fator que os fãs estão se esquecendo. O Wit Studio é um estúdio pequeno de animação e com uma grande quantidade de trabalho.

Quem ilumina essa situação para nós é Thomas Romain, um animador por dentro da indústria de anime. Ele usou o Twitter para se expressar sobre os dois maiores problemas atuais: a falta de animadores e a enorme quantidade de projetos sendo realizados.

Falta de Animadores preocupa a Indústria
"Para aqueles desapontados com a segunda temporada de Shingeki no Kyojin ter apenas 12 episódios. É triste, mas existe uma escassez de equipes por conta da alta produção de animes."

Falta de Animadores preocupa a Indústria
"Hoje é quase impossível de se produzir séries de 26 episódios de qualidade. Os estúdios já estão fazendo o seu melhor dentro da programação que recebem de clientes."

Falta de Animadores preocupa a Indústria
"Com novas caras no mercado como Netflix e Amazon nos Estados Unidos, e o número alto de investidores chineses, os estúdios japoneses de anime estão sendo solicitados para produzirem mais e mais."

Falta de Animadores preocupa a Indústria
"O problema é: você precisa de anos para treinar uma equipe de produção, e as escolas de anime estão fechando as portas no Japão. Cada vez menos pessoas querem trabalhar nesse meio."

Falta de Animadores preocupa a Indústria



Evolução do número de séries e filmes de anime no Japão

Romain ainda aproveitou para tirar dúvidas comuns de fãs sobre a indústria (coisa que também já cobrimos em nossa matéria sobre a indústria, de forma bem ampla, veja novamente aqui)

"O dinheiro não vai para o estúdio de animação, vai para os detentores dos direitos, o Comitê de Produção."

Como o estúdio pode produzir apenas 12 episódios depois de 4 anos de intervalo?

"Eles não estão trabalhando em Shingeki no Kyojin S2 por 4 anos. Apenas por alguns meses, como sempre."

Por que há poucos animadores entrando na indústria de anime?

"Não se paga bem e a quantidade de trabalho é enorme."

"A maioria das pessoas não conseguem sobreviver com o salário ridículo que eles recebem trabalhando nessa indústria."

"Animadores iniciantes ganham por volta de 4 dólares por hora para desenhar as animações "inbetween" em Tokyo".

Baseado nessas informações, poderemos ver uma contradição nos números de estúdios e projetos no futuro, caso essas condições de trabalho continuem da mesma forma. Animadores podem trabalhar entre 50 a 84 horas por semana e receberem apenas 870~2.200 dólares por mês, dependendo da experiência deles. (aproximadamente 2.700 - 6.780 reais por mês).

Basicamente, eles vivem abaixo da linha de pobreza no Japão, ou ligeiramente acima. Dado esse cenário, não é surpresa que a indústria encare problemas como falta de animadores e escolas de animação fechando.

A ironia fica por conta de que a Associação de Animadores Japoneses anunciou que a indústria bateu o recorde de 15,9 bilhões de dólares em 2016. O problema é que nenhum desse dinheiro é revertido de volta para os trabalhadores, mas apenas para as empresas que fazem parte dos Comitês de Produção.

Romain tenta dar alguns conselhos para os fãs de anime que queiram ajudar da forma que podem.

"Assista animes legalmente, comprem produtos oficiais, compartilhem essa paixão com seus amigos."

0 comentários:

Postar um comentário