Por que os escritores de eroges estão indo para os animes?






Tradução da matéria original do site japonês Davinchi News (Nota, o artigo é de 2015)
















Muitos escritores de mangás e light novels começaram fazendo doujins hentais, diria que a grande maioria começou assim, mas ultimamente um outro grupo de pessoas tem chamado a atenção da indústria dos animes, cada vez mais competitiva e rápida, e são os escritores de eroges.

As últimas temporadas (e eu me refiro as de Primavera e verão de 2015) são de animes que possuem escritores de eroges em suas produções, e são muitos animes, Um exemplo é Gakkou Gurashi, o autor do mangá é Norimitsu Kaiho; Norimitsu começou sua carreira criando roteiros de eroges, e é ele quem fez o roteiro inteiro da versão anime de Gakkou. Jun Maeda é outro que começou escrevendo eroges antes de criar animes como Charlotte.
Isso ocorre com as light novels também, muitas light novels famosas tem como criadores pessoas que escreviam eroges, na verdade, uma parcela da popularidade crescente das LNs se deve aos ex-escritores de eroges.
Mas porque os estúdios estão pegando pessoas que escreviam eroges para trabalhar em animes? Existem algumas boas razões para isso.
Existem pelo menos 3 razões básicas para esse fenômeno. A primeira seria o reconhecimento dos fãs, muitos deles já possuem vários fãs que o seguem e que gostam de seu trabalho, então já é meio caminho andando, e assim fica mais fácil de se criar publicidade em volta dele.



A segunda razão é que escritores de eroges trabalham rápido. Escritores de eroges normalmente escrevem numa velocidade muito superior a escritores de light novels, eles tem que escrever rápido pois o jogo tem um prazo pré-determinado para sair, e para poder ganhar dinheiro, já que eles são contratados para trabalhar um certo período de tempo, então os estúdios gostam de alguém que consegue escrever rapidamente um roteiro para um anime.



E a terceira razão é porque eles tem influência na indústria. Normalmente os escritores já possuem ilustradores amigos com quem podem entrar em contato diretamente, e bons ilustradores, e já que seus nomes já são conhecidos, é mais fácil de convencer e contratar um ilustrador para trabalhar em certo anime.

Escritores de eroges têm também experiência com histórias contínuas, talvez seja este o mais importante. Um jogo possui o equivalente de texto para formar 5 ou 10 light novels, para você conseguir escrever uma história tão longa você precisa de certas habilidades que um escritor normal não possui.

1. Um bom senso de história e do mundo
2. A habilidade de criar vários personagens e de lembrar das suas histórias
3. Um senso de ritmo e conhecimento de quando botar drama na história ou outros elementos (comentário da VSA: ok, Jun Maeda meio que falhou nessa parte em Charlotte).

A experiência que escritores de eroges tem nestas áreas são suas maiores forças. Eles aprendem cedo como os fãs reagem a histórias longas, e quais tipos de histórias são mais aceitas, sabem quando elementos novos devem ser adicionados, entre outros.


Games são lançados já completos, com o início, meio e o final da história, diferente das light novels que são lançadas sem sua conclusão (tirando as de apenas 1 volume). E esta é mais uma diferença entre os dois tipos de escritores, os de eroges já começam a escrever com um final na mente, diferentemente dos de light novels, já sabendo o final, e isso faz toda a diferença.

Por exemplo, uma temporada normal de 12 episódios cobre em média de 2 a 3 volumes de uma light novel, entretanto, light novels populares possuem em média mais de 10 volumes, então é muito raro escritores normais conseguirem passar isso pro anime, e é ai que entram os escritores de eroges, eles tem a habilidade de comprimir os volumes de uma light novel para que caibam em 1 temporada de anime.

Isso já existia antes, mas foi neste ano de 2015 que a coisa aumentou e muito, os estúdios estão contratando cada vez mais escritores de eroges para escreverem as adaptações e isso é algo que vai aumentar cada vez mais.

0 Comentários:

Postar um comentário