Entrevista com o diretor de Deadman Wonderland




Entrevista com o diretor de Deadman Wonderland, Koichi Hatsumi. (Realizada em 15 de Abril de 2011)

Tivemos a oportunidade de fazer algumas perguntas rápidas a Koichi Hatsumi, diretor do anime Deadman Wonderland.

Por favor nos dê uma visão geral do que é Deadman Wonderland.

- É baseado em um popular mangá. A história começa com uma cena onde um garoto de 14 anos chamado Ganta Igarashi, sentenciado a morte por falsas acusações, é enviado a um refúgio privado chamado "Deadman Wonderland". Lá ele conhece uma garota misteriosa chamada Shiro e "Deadman", um grupo de indivíduos que possuem poderes sobrenaturais de manipularem seus sangues para lutarem. Daí se desenvolve um drama.

O que te atraiu particulamente para esse projeto?

- É a história do crescimento de Ganta e Shiro, que é chave para o drama. Além disso, eles possuem seus segredos. Com o rolar da história, vamos descobrindo esses segredos. Será fascinante. O mangá original inclui várias cenas impiedosas. A medida em que se lê, a história se torna um drama. Considerando isso, não há muitos títulos similares por aí.

De uma perspectiva de fora, seu gosto por animação parece ser de conteúdo mais sombrio e maduro. Darker than Black, Le Chevalier D'Eon, Karas e Kikaider. O que te atrai nesses tipos de projetos?

- Acho que há um mal entendido aqui (risos). É apenas uma coincidência. Eu não mirei especificamente nesses títulos. Sim, eu fui envolvido com Le Chevalier D'Eon, Karas, Kikaider e Darker than Black, mas eu recebi ofertas, do tipo "você quer?" e eu aceitei. Eu apenas acabei recebendo esse tipo de conteúdo. Aliás, eu já trabalhei em títulos de mangá shoujo, e também em títulos mais infantis.

Você diria que Deadman Wonderland é similar com outros animes que você já trabalhou?

- Apesar de você ter mencionado que eu trabalhei em títulos mais sombrios, eu não compararia Deadman Wonderland, que também é muito sombrio, com nenhum outro título que eu já trabalhei. Não é completamente sombrio também, mas com certeza é mais "sangrento". É algo novo produzir uma série dessas com esse tipo de conteúdo. "Karas" foi uma OVA, então, já podia ser bem violento. No entanto, Deadman Wonderland é uma série de TV. Nunca houve uma série de TV tão violenta como essa antes.

Você se importa com o nível de violência que é passado pra TV?

- Normalmente, quando se trata de conteúdo violento, existem sempre alguém para pisar nos freios, ele levanta a voz para falar. Mas, por enquanto, nós temos o carro com o acelerador no máximo sem ninguém pisando no freio. 

O quão desafiador é o seu papel como diretor nessa série comparado com seus trabalhos anteriores?

- É bem desafiador. Sequer terminamos o primeiro episódio ainda (risos). Então, as coisas vão se tornar ainda mais desafiadoras. Mas, essa é minha primeira vez como diretor de uma série. Parece que estou subindo um degrau para algo ainda novo. Estou gostando muito.

Você vem trabalhando em animação por um bom tempo, em uma variedade de séries que os fãs ocidentais abraçaram, como Cowboy Bebop e IGPX. O quão importante são os fãs ocidentais para você quando se trata de anime?

- Fãs ocidentais são muito importantes. O mercado japonês em si não é tão grande. Então, eu gostaria que tivéssemos cada vez mais fãs ocidentais assistindo animes japoneses. Eu ainda não pude presenciar essa experiência, então não sei a dimensão dos fãs ocidentais. Mas eu vejo histórias sobre fãs que gostam de cosplays e vão em convenções nos Estados Unidos e na Europa, etc. Se fãs ocidentais assistissem mais animes, poderia animar o mercado japonês. Acredito que "Deadman Wonderland" pode ser interessante não apenas para os japoneses mas como para os ocidentais também. Isso porque o mangá original já foi traduzido e publicado em várias línguas, como inglês e francês. Existem vários fãs ocidentais desse título. Espero que vocês nos apoiem!

Entrevista retirada do site Anime News Network
Texto traduzido e adaptado por Kenji-san para a VSA em 09/06/2016.

0 comentários:

Postar um comentário