VSA Industria - Porque são feitos filmes e não novas temporadas de animes?




Bem vindo ao primeiro VSA Industria, sua série de artigos explicando, reportando e noticiando coisas relacionadas diretamente à industria dos animes.

Esse é um tipo de conteúdo que eu sempre quis trazer aqui na VSA, porém tive que estudar muito por muito tempo antes de vir falar algo aqui, para ter um conhecimento mais aprofundado de como os negócios ocorrem e como a industria se move, esperem por vários artigos explicando muita coisa sobre os animes, claro, se você tiver dúvidas deixe ai nos comentários que eu, caso não saiba, pesquisarei aprofundamente para lhe responder.

Hoje começamos e irei responder porque muitas produtoras optam pela produção de um filme ao invés de uma nova temporada daquele anime.


Na tabela acima, disponibilizada pela AJA (Association of Japanese Animations) neste ano de 2017, mostra a quantidade de filmes de animes ao longo dos anos, veja que de 2012 até 2014 a quantidade deu uma caída, mas voltou a crescer em 2015 e 2016.

Alguns fatores influenciam para produzirem filmes de animes em vez de novas temporadas, vimos recentemente filmes de Mahouka, No Game No Life, SAO entre outros, porque esses animes ganharam filmes ao invés de uma nova temporada?

O primeiro fator é, é mais barato e mais rentável para o comitê de produção fazer um filme que pagar por uma nova temporada..

Outro fator importante é: os consumidores tem que pagar para poder ver o filme, o que não ocorre com os animes, que são transmitidos pela TV e Internet. Além disso, nos cinemas, você pode vender mercadorias do filme lá na porta, o que acaba sendo vantajoso também, você já aproveita que o fã está ali e já vende a eles produtos exclusivos do filme e brindes que ele não encontraria em nenhum outro lugar.

Mas você se engana se os filmes ficam limitados ao Japão, vários outros países da Ásia acabam por licenciar os filmes quase ao mesmo tempo da exibição nos cinemas japoneses e transmitem em seus países. Todos aqueles países da Ásia compram muitos filmes de animes do Japão e exibem eles em seus cinemas, isso é um lucro a mais.

Um exemplo recente é o filme de Sword Art Online, que passou nos cinemas do Japão e em vários outros países da Ásia.

Produzir um filme acaba sendo uma aposta e um modelo de negócio melhor do que produzir um anime inteiro, que custa caro e possui muito mais riscos.

O único ponto chato de filmes e que eles acabam por demorar para serem disponibilizados aos fãs ocidentais (tipo a gente aqui no Brasil que dependemos do lançamento em disco lá no Japão), porém alguns países da America Latina e os Estados Unidos costumam ter em alguns cinemas exibição de filmes de animes (como ocorreu com Kimi no na wa, Fairy Tail Dragon Cry e Koe no Katachi) pouco tempo depois do Japão.

Agora vocês entendem mais porque vários filmes de animes vem aparecendo, resolvi trazer esse tópico primeiro pois muita gente comenta nos posts da VSA, chateados ''porque fazem filme em vez de uma nova temporada?'', esses são os principais motivos. Lembrem que anime é um negócio, ele precisa ser lucrativo para as empresas que as bancam, eles não produzem um anime baseado em paixão, mas baseado em lucratividade, o quanto eles acham que podem ganhar com determinada série.

Alguns animes que ganharam filmes em 2017:

SAO
Kizumonogatari
Kuroko no Basket
Overlord
Trinity Seven
Kabaneri
Lupin
Yuuki Yuuna wa Yuusha de Aru
Fairy Tail
Free
Mahouka
No Game No Life
Fate/Kaleid
Seitokai Yakuindomo
Eureka Seven
Hibike Euphonium
Nanoha
Haikyuu
Fate/Stay Night
Gochuumon wa Usagi desu ka?
Girls und Panzer
Dance with Devils

Agora fica a pergunta, quantos não reclamaram que prefeririam novas temporadas de Mahouka, SAO, Overlord, Kabaneri, Free, No game no life, eureka seven, hibike, Girls und Panzer do que filme? (Alguns desses que citei realmente ganharam anúncios de novas temporadas)

Obviamente nem todos acima já estrearam ou você já pode assistir, e alguns deles foram recapitulações.

No próximo post eu pretendo falar sobre o mito das vendas de DVD/Blu-ray, sim, tocar nesse assunto cujas informações são muito mal passadas e difundidas aqui no ocidente.

0 comentários:

Postar um comentário