Vencedor de competição da Shonen Jump desenhou em seu smartphone

Vencedor de competição da Shonen Jump desenhou em seu smartphone



O fenômeno das novels escritas em celulares (keitai shousetsu) começou e popularizou no Japão no início dos anos 2000. No entanto, quem disse que o limite são apenas as novels ou outros trabalhos literários? Alguns artistas estão se arriscando a DESENHAR em seus smartphones.

Um desses artistas, que está acostumado a usar seus dedos em vez de uma caneta stylus, é Sō Atsumori, de apenas 20 anos de idade. Ele é o criador do manga Anata ga Koi to Iu no nara, que foi o premiado de uma competição de manga da Weekly Shonen Jump em 2016. A equipe do departamento editorial da revista, que escolheu os vencedores, não tinham a menor ideia de que Atsumori havia desenhado o manga em seu smartphone. Isso só foi revelado em uma conversa durante um encontro de negócios com ele.

Vencedor de competição da Shonen Jump desenhou em seu smartphone

Quando o editor, Yūta Momiyama, descobriu que o manga havia sido desenhado em um celular, ele ficou surpreso. E o mais incrível disso tudo: Atsumori comentou que ele usou seus dedos e não uma caneta. Momiyama disse que conseguia imaginar alguém criar um manga em um tablet com uma caneta stylus, mas que jamais cogitaria que alguém usasse apenas os dedos e um smartphone.

O primeiro capítulo de 28 páginas de Anata ga Koi to Iu no nara estreou no site da Shonen Jump em agosto. A comédia romântica juvenil se passa em uma escola e foca em encontros e relacionamentos entre meninos e meninas. Os detalhes nas expressões faciais e seus cenários são tão impressionantes que é difícil de acreditar que tudo foi feito em um celular.

Atsumori diz que não se lembrar de ler tanto manga quando criança, mas que ele começou a desenhar após assistir o anime Bakuman. Atsumori comparou o desejo de se tornar desenhista após ver Bakuman, da mesma maneira que crianças desejam jogar futebol após ver Captain Tsubasa (Super Campeões).

Ele começou a desenhar manga no ensino médio. Apesar de ter começado com papel e caneta tradicionais, após um amigo do clube de arte dizer que eles usavam celulares, Atsumori pegou seu smartphone e começou a fazer o mesmo. Seus amigos estavam desenhando usando o aplicativo ibisPaint, e Atsumori lembra que havia muitas crianças usando canetas stylus, mas muitas desenhavam com os próprios dedos.

Vencedor de competição da Shonen Jump desenhou em seu smartphone

Desenhar no smartphone foi uma tarefa complicada no começo, e sua mãe até chegou a comprou uma mesa digitalizadora... porém, sua família estava sempre ocupando o computador, então Atsumori não tinha muito tempo pra trabalhar com manga nele. Ele até desenhou algumas páginas no aparelho, mas logo, ele estava juntando poeira num canto. Por fim, ele voltou pro papel e caneta e continuou desenhando mangá até o fim do ensino médio.

Após se graduar do ensino médio, Atsumori se inscreveu em uma escola preparatória e, com o pouco tempo que tinha, voltou a desenhar manga em seu smartphone. Ele descobriu que muitos dos criadores de manga que ganhavam os concursos da Weekly Shonen Jump eram jovens de até 19 anos. Como um estudante que não gostava de estudar e não conseguia passar nos vestibulares de faculdades, Atsumori usava seu tempo para desenhar no seu celular em seu quarto. Apesar de ser frustrante no início, ele decidiu dar uma chance a esse método de criação de manga. Ele dedicou dois meses nisso e acabou se tornando a primeira pessoa a enviar um manga desenhado em celular para uma competição de uma grande editora.

Apesar de atualmente Atsumori não estar desenhando em seu celular, seu iPhone possui MediBang Paint instalado. Ele ainda pode usar o aplicativo como parte seu processo de criação de manga.

Atsumori não sabe ao certo quanto tempo ele passa desenhando. No entanto, ele diz que já gastou algo em torno de 3-4 horas por dia para desenhar apenas um painel. Ele complementa dizendo que a parte mais difícil de desenhar em um celular é fazer linhas retas. Já o lado positivo, é que ele pode trabalhar continuamente em seu trabalho em qualquer lugar a qualquer hora.

Vencedor de competição da Shonen Jump desenhou em seu smartphone

O jovem e amador mangaka aposentou essa metodologia por ora, mas ele continua a desenhar. Atualmente ele usa um notebook, tablet e o programa CLIP STUDIO PAINT. Atsumori diz que ele pode trabalhar mais rapidamente agora.

Graças a Shonen Jump, muitos aspirantes a mangakas podem enviar suas obras, até mesmo as criadas em smartphones. A revista lançou o aplicativo Jump Paint manga-drawing em junho. Esse aplicativo gratuito para PC, tablet e smartphone ajuda na criação de manga com diferentes tipos de canetas, tons e fontes. O aplicativo está disponível em japonês, inglês, coreano, mandarin, cantonês, russo, espanhol, francês e PORTUGUÊS. O aplicativo faz parceria com a Shonen Jump Rookie, uma página onde artistas amadores podem enviar seus trabalhos. Atualmente, a revista criou uma competição para celebrar seu quinquagésimo aniversário e o lançamento do aplicativo.


0 comentários:

Postar um comentário