Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista

Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista com hiro mashima





"Olá, eu sou Hiro Mashima, e eu sou um Deus do Manga" - Hiro Mashima, Comic-con (Nova Iorque)


Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista com hiro mashima

Apesar de se tratar de um bom senso de humor, é difícil de não ver uma certa verdade nessa frase, já que seu sucesso em Fairy Tail é reconhecido mundialmente tanto em formato de manga como anime, com mais de 260 milhões de volumes em circulação. A seguir você pode acompanhar uma entrevista feita com Hiro Mashima na Comic Con de Nova Iorque, pouco antes da presença dele em seu painel do evento.

- Como você se sentiu no primeiro dia em que acordou e não precisava mais trabalhar em Fairy Tail?

Pra falar a verdade, me senti meio solitário e triste, então comecei a fazer uns desenhos.

- Fairy Tail é relativamente novo se comparado a outras séries "clássicas" de manga e anime, mas já podemos considerá-la como um clássico entre os fãs. Como você se sente sobre isso?

Fico muito feliz em ouvir isso.

Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista com hiro mashima

- Tanto Rave Master quanto Fairy Tail são obras com temática de fantasia. Você por acaso já considerou trabalhar com outro gênero?

Eu pessoalmente adoro obras desse gênero, então quando eu faço uma nova série, tento seguir essa mesma linha. Rave Master era sobre amigos salvando o mundo todo, mas Fairy Tail é mais sobre relacionamentos próximos. Então se eu fizer outra história de fantasia, gostaria de tentar uma abordagem diferente.

- Você já considerou revisitar o universo de Rave Master?

Durante a sessão de autógrafos, eu presenciei várias pessoas pedindo por personagens de Rave Master, mas eu percebi que eu acabei esquecendo em como desenhar vários deles, então pode ser meio difícil revisitar.

Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista com hiro mashima

- Vários artistas de quadrinhos dizem que já sabem qual será a última página da série antes mesmo de começarem. Fairy Tail também foi assim?

Sinceramente, eu não tinha a menor a ideia de como seria a última cena da história quando comecei a série. O fato de eu não saber o que aconteceria a seguir foi, na verdade, a melhor parte de trabalhar nessa obra. Por exemplo, quando há um gancho para o próximo capítulo, volume ou episódio, onde os personagens estão em uma situação delicada, os fãs vivem se perguntando o que vai acontecer a seguir. Bem, eu tinha essa mesma sensação.

- Tradicionalmente, você usou várias influências ocidentais em seus trabalhos. Que tipo de obra ocidental você se inspirou?

Há uns 30 anos, no Japão, houve uma grande popularização de jogos de fantasia e RPG, e foi daí que eu tirei minha inspiração. Alguns exemplos são Dragon Quest e Final Fantasy.

- No mundo de Fairy Tail, poderes mágicos é algo que você herda ou consegue obter se trabalhar para isso?

No mundo de Fairy Tail, se alguém treinar bastante para aprender um novo tipo de magia, eles conseguem. Há vários personagens que treinam a si para aprenderem tipos diferentes de magia. No entanto, todos colaboram e trabalham juntos, então a maioria desses personagens trabalham em seus próprios talentos e os melhoram para que possam ajudar os demais.

- Eu acho Zeref muito interessante. Ele não é o seu típico cara malvado, além de ser uma figura meio trágica. Por que você o fez dessa forma?

Eu não queria um cara mal qualquer. Eu meio que combinei todos os elementos que eu estava cultivando e coloquei nele, que acabou virando esse personagem extremamente complexo.

- Todo mundo gosta das personagens femininas em Fairy Tail. Elas parecem fortes e sensuais, e ao mesmo tempo, confiantes. Como você conseguiu fazer personagens tão equilibradas?

Elas são o que eu gosto em mulheres. Esse é meu gosto pessoal, então coloquei nas personagens. É meio que meu desejo.

- Há algum personagem em particular que você tenha dedicado mais tempo para criar?

Um dos personagens que eu consigo pensar é Acnologia. Ao meu ver, eu tinha uma base profunda para ele. Mas a história é em cima do ponto de vista do personagem principal, então eu não pude fazer isso. Eu talvez consiga explorar a história de Acnologia em algum momento.

- Em termos de design, Fairy Tail é algo único. Vários dos personagens trocam de roupas durante a série. Como foi esse processo de mudar as roupas deles?

Toda a vez que eu mudo as roupas, há algo que eu não gostava do design anterior, então eu tento dar uma renovada. Mas as vezes acho que o design anterior era melhor, então acabo fazendo essas idas e voltas.

- Qual personagem de Fairy Tail você mais sente falta?

Brandish. Eu gostaria de poder desenhá-la mais.

Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista com hiro mashima

- Na indústria de quadrinhos dos Estados Unidos, é comum que várias pessoas trabalhem em uma mesma obra. No Japão, uma pessoa geralmente escreve todo o trabalho. Nos Estados Unidos, os criadores podem já ter falecido e as pessoas continuam a obra dele. O que você acha disso tudo?

Uma das coisas boas dos quadrinhos americanos é de que várias pessoas podem trabalhar na obra, fazendo ela virar um filme ou outros tipos de entretenimento, que inclusive acabam popularizando rapidamente em outros países. Em termos de manga, geralmente uma pessoa pensa em toda a história e o resto é centrado nessa única linha de enredo, então, se há uma oportunidade de ir em outra direção, é algo bom. Quando falamos de Fairy Tail, muitas pessoas amam a visão global de Fairy Tail, então é bem possível expandir a história em spin-offs por outros criadores, diversificando a propriedade intelectual.

- Nos spin-offs americanos, eles se preocupam muito com a continuidade. Você se preocupou com isso durante os 11 anos em que trabalhou na sua obra?

Eu estava pensando um pouco nisso, mas não foi a maior prioridade. Para mim, é mais importante fazer uma história interessante e retratar bem as emoções de cada personagem. Então se os fãs encontrarem alguns buracos nesse quesito, eu acabo ficando feliz, pois significa que as pessoas realmente estão lendo com muita atenção e amor.

- Às vezes os personagens morrem em Fairy Tail, mas acabam voltando. Por que você decidiu assim?

Isso tem a ver com o fato de que em Rave Master, vários personagens realmente morrem e acaba se tornando uma história triste. Quando você está trabalhando em um manga para uma revista, dependemos muito de enquetes e feedback dos leitores para saber se sua obra continuará na revista. Para ser sincero, os capítulos que tiveram a morte de personagens importantes tiveram vários tipos de reações. Sabendo disso, eu queria ter certeza que pessoas não morressem na minha série.

Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista com hiro mashima

- Você posta vários desenhos em redes sociais. Os fãs deveriam levar esses desenhos como algo canônico, ou apenas uma distração que você tem?

Imagens que eu posto em minhas redes sociais são apenas meus rascunhos e não tem nada a ver com o enredo principal da história. É claro que eu quero que as pessoas se lembrem desses personagens, mas na verdade é apenas divertido para mim. Eu tenho uma lista de personagens na minha cabeça, mas não serei capaz de postá-los em minhas redes, então posto esses rascunhos no lugar.

- Fairy Tail foi exibido em uma revista semanal. Como foi isso e você preferia ter tido mais tempo para trabalhar nos capítulos?

Na verdade eu já trabalhei em séries semanais e mensais ao mesmo tempo. Como você pode imaginar, trabalhar em uma série semanal é muito difícil. No entanto, você recebe o feedback dos fãs quase que imediatamente e eles dizem algo como "Eu quero ler o próximo capítulo". Isso me anime e faz querer respondê-los com o lançamento do próximo.

- Como uma série semanal possui um ritmo acelerado de produção, você consegui conciliar isso com sua vida pessoal, se cuidando, comendo e dormindo bem?

É claro! Eu nunca tive nenhum problema com minha alimentação ou sono.

- Se você pudesse ir a uma convenção como cosplayer, você iria fantasiado de quê?

Eu realmente gostaria de tentar... Eu gosto muito de Game of Thrones atualmente, então provavelmente faria cosplay de um dos personagens de lá.

- Se você estivesse no mundo de Fairy Tail e pudesse escolher três pessoas para a sua equipe, quais seriam?

Lucy, Erza e Juvia.

Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista com hiro mashima

- Vários personagens shounen parecem ter as mesmas características. Como serem rebeldes, mas muito habilidosos no que fazem. O que torna Natsu único?

Seu cabelo rosa! E o fato dele ficar enjoado com movimentos rápidos.

- A medida em que você muda para sua nova série, o que você levará de Fairy Tail com você? Que erros você tentará evitar ou que coisas farão sua vida mais tranquila nessa próxima série?

Uma das coisas que eu aprendi, e acho que obtive sucesso em Fairy Tail, é desenvolver vários e vários personagens com personalidades únicas. Eu gostaria de implementar isso nessa próxima série também.

- Você se preocupa que talvez os elementos de Fairy Tail se sobressaiam demais nessa nova série?

Pra falar a verdade não acho que uma obra que faça lembrar de outras obras minhas seja algo ruim. No Japão, há um tipo de "maldição". Após seu primeiro grande sucesso, a próxima série será um fracasso. Pessoalmente, não estou preocupado com isso. Não acredito que Fairy Tail foi um sucesso gigantesco. Dessa forma, não sinto pressão nenhuma nessa nova obra. 

- Uma adaptação em anime adicionará muitos elementos a história. O que você mais gosta do anime que não está em seu manga?

Acredito que a maior contribuição que anime traz a uma obra é o trabalho dos dubladores. Mesmo nos EUA, a dublagem é bem parecida. Eles passam o mesmo sentimento que a dublagem japonesa passa. Estou bem feliz com o resultado dela.

Meu nome é Hiro Mashima e eu sou um Deus do Mangá - Entrevista com hiro mashima

- Aonde você faria tatuagem de seu clã?

Igual ao Natsu. No meu braço.

- Quando que teremos essa nova série?

O editor encarregado está me apressando nisso. Eu não posso dizer muito sobre, mas espero que consiga começar ela no ano que vem.

- Poderia nos descrever a influência que seu editor teve?

Um dos procedimentos principais é de que eu geralmente escrevo o primeiro rascunho de um capítulo e depois mostro para ele. O editor me dará o feedback se está ruim ou não. Se o editor disser que não está bom, eu pergunto o motivo e corrijo. Esse processo criativo é muito importante. Às vezes entramos em conflito, como por exemplo se ele disser que algo está ruim e eu não concordar, e decido manter com o que eu acredito. Se no fim das contas, minha decisão foi ruim, eu sinto que deveria te-lo escutado. Às vezes, quando estou empacado com alguma ideia, ele me dá algum conselho que geralmente me ajuda.

- O que você mais gosta da comunidade de fãs de Fairy Tail?

Dos olhos brilhantes deles com a obra. Eu fico muito feliz em vê-los.












0 Comentários:

Postar um comentário