Crimes não Solucionados: Os assassinatos Love Hotel de Kabukichou

Crimes não Solucionados: Os assassinatos Love Hotel de Kabukichou





Entre Março e Junho de 1981, um distrito de Tokyo foi palco de três assassinatos não solucionados, todos nos chamados "Love Hotel" que existem no Japão.

Nos anos 80, Akina Nakamori era uma das grandes estrelas pop do Japão. Comparada a outras idols gigantes daquela época, como Seiko Matsuda, Nakamori cantava músicas sobre ser uma jovem rebelde. Uma de suas músicas contagiantes se chama Shoujo A.

O título, que pode ser traduzido literalmente para "Garota A", na verdade pode ter um outro significado. Na mídia japonesa, para manter o anonimato, em casos de crimes são adotados pseudônimos simples como "Sr. A", ou "Vítima B", ou "Dona de Casa C". Na música de Nakamori, a protagonista da música chama a si mesmo de "Garota A".

Especula-se que Shoujo A foi inspirada em uma série de assassinatos não solucionados no distrito de Kabukichou em Tokyo. Esses assassinatos, que teriam sido cometidos pelo mesmo homem, aconteceram um ano antes do lançamento da música. A terceira vítima, que foi atribuída como "Shoujo A", e assim como a protagonista na música de Nakamori, tinham apenas 17 anos.

Independente se a música é uma referência ou não, a história é bem interessante. Entre Março e Junho de 1981, três mulheres foram assassinadas em diferentes "Love Hotels" em Kabukichou. O primeiro corpo foi encontrado na manhã do dia 20 de março. A vítima, "Recepcionista A"*, havia feito o check-in no quarto com um jovem rapaz na noite anterior.

Assassinatos Love Hotel Kabukichou

* Durante o texto, o termo "recepcionista" vai ser muito utilizado, e é um termo traduzido de "Hostess". Tenha em mente que não se trata de uma recepcionista tradicional. Se trata de uma anfitriã, que recebe os convidados, que pode ser em qualquer estabelecimento, como uma casa noturna ou bares e eventos, caracterizando uma profissão completamente diferente, o que vai ficar evidenciado mais abaixo.

Perto do horário do check-out, ninguém no quarto atendeu as ligações do hotel. Um funcionário foi averiguar a situação no quarto e encontrou a "Recepcionista A" morta e sozinha. A causa da morte foi estrangulação. Um cartão de negócios, que pertencia a "Recepcionista A", a identificou como uma hostess de 33 anos de uma casa noturna.

No entanto, o cartão era falso...

A "Recepcionista A" na verdade tinha 45 anos de idade, e não 33 como demonstrava o cartão. Seis anos antes de seu assassinato, ela havia abandonado seu marido e filho para trabalhar em Kabukichou. Seu marido acabou falecendo enquanto a procurava, e seu filho morreu um ano depois. Ela morava sozinha e há boatos que ela trabalhava como prostituta. É possível que ela tenha conhecido seu assassino em seu trabalho na casa noturna.

A próxima vítima, "Recepcionista B", foi encontrada morta na noite do dia 25 de abril (pouco mais de um mês depois do primeiro assassinato). Novamente, a vítima foi estrangulada, e dessa vez, com sua própria meia calça. A maioria de suas roupas sumiram, mas o assassino deixou alguns de seus pertences por lá, como brincos e cigarros. Seu parceiro, que havia deixado o hotel apenas uma hora depois do check-in, foi descrito apenas como um "homem de negócios".

Apesar dos nomes da primeira vítima e a próxima que falaremos serem pseudônimos, a "Recepcionista B" é literalmente desconhecida. A polícia jamais conseguiu identificá-la. O que eles podiam afirmar com convicção era de que a "Recepcionista B" estava em seus vinte anos de idade. Como as condições de seus dentes eram precárias, e seus pulmões em ótimas condições, especula-se que ela pode ter vindo de uma área rural.

A terceira e última vítima, "Garota A", é supostamente a inspiração para a música de Nakamori. Seu corpo foi encontrado na noite do dia 14 de junho de 1981. Assim como as duas outras vítimas, a "Garota A" fez o check-in em um quarto de "Love Hotel" com um homem, que novamente, deixou o hotel sozinho. Um funcionário a encontrou completamente nua e estrangulada com sua meia calça.

Na cena do crime, a "Garota A" foi encontrada parcialmente com vida, mas infelizmente, ela acabou falecendo no hospital. Sua identidade foi descoberta por conta de alguns livros de biblioteca que ela deixou no quarto do hotel. "Garota A" tinha 17 anos de idade e era uma estudante de Kawaguchi, uma cidade há menos de uma hora de Tokyo.

Assassinatos Love Hotel Kabukichou

No dia de seu assassinato, "Garota A" estava em um encontro com seu noivo de 18 anos em Shinjuku. Por volta das 16:30, o noivo voltou para casa e a "Garota A" ficou sozinha. Algum tempo depois disso, por terem encontrado vestígios de café em seu estômago, acredita-se que ela tenha ido a uma cafeteria. Por volta das 18:30, ela fez o check-in em um "Love Hotel" com um "homem de negócios". Duas horas depois, ela estaria morta.

Por conta das outras vítimas serem "recepcionistas", a princípio, a "Garota A" parece não encaixar nesses casos. Ela estava comprometida com um namorado carinhoso, então por que ela teria ido a um "Love Hotel"? Pode ser que a "Garota A", assim como a "Recepcionista A", fosse prostituta. Ou então, o assassino simplesmente decidiu mudar de alvo. A "Garota A" era interessada em filmes e cinema, e no dia antes de seu assassinato, ela mencionou que conheceria algumas pessoas que poderiam ajudá-la a virar uma atriz.

Houve um outro incidente associado com o caso dos Assassinatos em "Love Hotels", mas se trata de um roubo, e não um assassinato. Cinco dias após a "Garota A" ter sido assassinada, uma "recepcionista" de 30 anos fez um check-in em um "Love Hotel" com um "homem de negócios". O homem amarrou a mulher, a espancou, e roubou sua carteira e pertences. Apesar da vítima ter sobrevivido, é possível que o homem tenha tentado cometer o assassinato.

Em resumo, há coisas similares e diferenças entre os assassinatos. As três primeiras vítimas, por exemplo, foram estranguladas, sendo que a "Recepcionista B" e a "Garota A" foram estranguladas com suas próprias meia-calças. A autópsia das três revelou que elas haviam tomado algum tipo de estimulante, provavelmente algo colocado na bebida pelo assassino. Além disso, o parceiro das vítimas foi descrito como um "homem de negócios" nos dois últimos assassinatos e no roubo.

Provavelmente, o roubo não está associado com o caso. Mas os assassinatos da "Recepcionista B" e "Garota A" provavelmente estão, já que ambas foram mortas das mesma maneira e, aparentemente, pela mesma pessoa. Não dá pra mensurar quantos "homens de negócios" estavam andando por Kabukichou, drogando e estrangulando mulheres em "Love Hotels" durante 1981, mas é bom palpite dizer que foram assassinadas pelo mesmo cara.

Naquela época, "Love Hotels" não possuíam câmeras de segurança, o que possibilitou o assassino sair ileso de qualquer reconhecimento e punição. Em 1995, os casos foram encerrados, sem solução. Infelizmente, esses casos são tão depressivos quanto a própria letra e música composta por Akina Nakamori.














0 Comentários:

Postar um comentário