Produtor de Kemono Friends diz que a China ultrapassará o Japão nos Animes em 10 anos

Produtor de Kemono Friends diz que a China ultrapassará o Japão nos Animes em 10 anos




No dia 5 de Dezembro, Yoshitada Fukuhara, produtor de Kemono Friends, publicou uma declaração bem sombria em seu Twitter.

"Embora a indústria da animação chinesa tenha acabado de começar, estou convencido que eles irão nos ultrapassar em produção em 3 anos, e em habilidades em 5 a 10 anos."



Alguns dos seguidores de Fukuhara destacaram que a China já ultrapassou o Japão em termos de quantidade de produção e que suas técnicas com animação 2D e 3D estão em níveis respeitáveis. No entanto, Fukuhara disse que isso é verdade na programação infantil, mas o verdadeiro apelo das animações japonesas no exterior é seu conteúdo sofisticado e orientado para jovens/adultos.

Atualmente, a China e o Japão estão colaborando em alguns projetos de animação, mas Fukuhara suspeita que esses acordos não tenham futuro para o Japão. Uma vez que todos os animadores chineses aprenderem todos os truques da animação japonesa, continuar a trabalhar com o Japão não teria sentido comercial para eles.

- "Hitori no Shita: The Outcast" é um exemplo de anime feito com animação chinesa.


O problema também reside na atitude do Japão em relação a esse arranjo. Muitos na indústria dos animes, e no fandom, veem o Japão como Deus Invencível da animação, que só concede um pouco da sua sabedoria para a China, que sempre será seu grande aluno. No entanto, dado o crescimento da China, essa é uma visão fatalmente ingênua da situação.

Além disso, digamos que a China eleve sua animação aos padrões da Disney. A Disney ainda poderia competir por causa de seu conteúdo orientado para a família e que pode passar pelos rígidos regulamentos governamentais da China e em seu mercado lucrativo. No entanto, os estúdios japoneses de animação, cujo conteúdo muitas vezes contém violência a apelo sexual, tem que navegar a censura severa desses regulamentos até poder competir com os grandes estúdios nacionais.

- "Quanzhi Gaoshou" ou "The King's Avatar" é um ONA Chinês de 12 episódios que foi extremamente bem recebido no exterior.


Enquanto isso, de volta ao Japão, muitas indústrias nacionais como automobilismo e eletrônicos estão começando a diminuir. Nós já vemos sinais como o mercado de games diminuindo cada vez mais com o passar dos anos.

Nesse mercado global que está em mudança rápida, existem duas coisas que Fukuhara diz que podem salvar o Japão nessa competição: Animes e Comida Japonesa.

Pra piorar as coisas, Fukuhura ainda afirma que o Japão deve superar os clássicos do anime, já que os fãs desses animes e filmes, como Dragon Ball, Sailor Moon e Obras do Ghibli estão ficando velhos, e a nova geração está vindo ai querendo algo novo, que poderia ser algo da China talvez?

- "Reikenzan" é um anime feito por estúdios chineses e que foi exibido na TV Japonesa, tendo uma boa recepção.


Então, o Japão deveria primeiro reavaliar sua posição no mundo, pelo menos em termos de animação, e então começar a cultivar os seus próprios criadores, para que eles possam desenvolver arte que possa ser duplicada, mas não imitada. Embora isso seja verdade para qualquer arte, os animes tem certa vantagem nisso por enquanto.

E sobre o comentários, muitos internautas concordaram, falando coisas como "é frustrante", "a china cresce cada vez mais" e coisas do tipo.

Fukuhara é um produtor de 37 anos que com certeza deve se lembrar de quando os EUA entraram em uma crise econômica nos anos 80, numa situação bem semelhante a que o Japão enfrenta agora.

Dito isto, é certamente um conselho prudente para o Japão que deve ser levado em conta, ou a crise econômica que todos sabemos que o Japão enfrenta pode piorar bastante...

Fonte













0 comentários:

Postar um comentário