Entrevista com o Diretor de Violet Evergarden

Entrevista com o Diretor de Violet Evergarden




Entrevista com o Diretor de Violet Evergarden


A entrevista de hoje, com o diretor Taichi Ishidate, é uma tradução da versão original publicada na revista Shin-Q. Ishidate fala um pouco sobre sua abordagem pessoal no projeto, a temática, os detalhes e curiosidades da produção como os designs extremamente detalhados e o processo único de coloração.

- Primeiramente, gostaríamos de ouvir os detalhes de como esse projeto foi escolhido para ser animado. Violet Evergarden é uma obra que foi publicada pela KA Esuma Bunko da Kyoto Animation, correto?

Sim. É uma obra que foi, quase que por unanimidade, escolhida pelos juízes para receber o primeiro Grande Prêmio da Kyoto Animation Awards, premiação patrocinada pelo estúdio. Vencedor do grande prêmio... isso sim parece algo incrível. (risos)

- Ele foi escolhido dentre vários outros títulos?

Sim, praticamente foi uma medalha de ouro, o único título que conseguiu isso. Eu fui um dos juízes. Depois disso, ficou inevitável que a Kyoto Animation animasse ele.

- Ficamos sabendo que, foi durante esse tempo, que você sentiu que desejava se tornar o diretor de Violet Evergarden. É verdade?

Mais do que um desejo, eu diria que eu já me colocava como diretor. Enquanto todo a equipe principal na Kyoto Animation estavam procurando algumas obras, minha atitude sempre foi do tipo "cara, não seria legal a gente pegar Violet Evergarden?". Depois de um tempo, me pediram pra ser o diretor, e aqui estou agora.

- Violet Evergarden venceu o Grande Prêmio, foi publicado e anunciado de que teria uma adaptação em anime, e que você seria o diretor. Quais pontos você colocou como importantes ao adaptar para um anime?

Assim como está no título, a história foca na protagonista, Violet Evergarden, então eu senti que o essencial era retratá-la bem. Mas dizer que a obra foca somente nela, seria bem supérfluo. Se trata mais de uma estrutura episódica, com contos em cada um, mas que no final, ela continua no centro de tudo. A forma como se apresenta personagens nas novels e em animes são diferentes é claro, então fiquei preocupado que ao adaptá-la, poderíamos alterar o sentimento da personagem original. O pensamento em como eu visualizaria minhas impressões ao ler as novels foi a minha primeira preocupação.

- É claro que a história é sobre Violet, mas simplesmente a categorizá-la como um crescimento individual dela.

A própria Violet possui um sentimento efêmero. Ela é a protagonista, mas apesar da história se basear no seu crescimento, sua presença atual é bem esparsa. Você até se pergunta às vezes se ela está lá na história ou não. E por ela ser esse tipo de pessoa, não é possível passar uma história muito direta; você precisa incluir porções que mostram a forma em como ela olha o mundo. Eu sinto que essa é uma das partes mais interessantes dessa série. Violet possui um efeito no mundo em sua volta, é através das pessoas que ela encontra que ela descobre em como melhorar a si mesma, e começa a mudar quem ela é. Violet é esse tipo de personagem.

- No 3º KyoAni & Do Fan Days, evento que aconteceu em outubro, você não soube muito bem explicar qual seria o tema da obra. Sem soltar spoilers, pode nos contar um pouco sobre a temática?

Se eu tivesse que colocar em uma palavra... na verdade, não é fácil de resumir. Você poderia dizer que é sobre "amor", mas não é bem isso.

Entrevista com o Diretor de Violet Evergarden

- Tendo lido as novels, eu senti que "amor" faz parte da história. Ao assistir os dois primeiros episódios da série, no entanto, eu não senti isso. Em vez disso, eu senti uma variedade de emoções.

Sem dúvida. É bem desafiador resumir uma variedade de emoções que pessoas sentem e expressam. Você pode juntar alguns termos para chegar numa resposta para esse tema, tipo "uma tristeza feliz", mas mesmo isso é apenas uma porção do que você sente, não é algo possível de se colocar em termos. Mas para conseguir examinar um trabalho de forma séria, as pessoas precisam saber categorizá-lo, colocá-lo sob um gênero, resumi-lo. E ao fazer isso, você é capaz de notar coisas que não conseguiam antes. Essa é a minha abordagem ao produzir essa série. No final, é uma série bem abrangente onde algo novo será mostrado toda semana.

- Então a ideia de "algo que não é possível de expressar em termos simples" é o tema dessa obra?

Sim, é difícil resumir.

- Por favor nos conte quais pontos importantes você queria manter das novels.

Ao ter Violet constantemente em busca de um significado de uma frase dita por Gilbert como o ponto central da série, sentimos que poderíamos nos aprofundar bastante na própria Violet e descobrir mais sobre ela, assim como ela faz. Tornamos isso a parte principal da série.

- Você mencionou antes de que as novels era em um formato mais abrangente e contos episódicos. Você usou isso em sua vantagem ao tornar isso em uma série de anime?

Sim. Eu comecei pensando na beleza do próprio formato. Afinal, é interessante ir a vários lugares numa viagem, mais ou menos como um cenário de filme de viagem. Nisso, eu pensei em como usar isso da melhor maneira na série. Durante os encontros para falar sobre o enredo, alguém mencionou de como seria legal se fôssemos capazes de viajar pelo mundo como ela. Seria legal segui-la nos passos que ela faz. Por isso eu achei que não havia outra escolha senão retratar Violet indo a vários lugares. Se tornou uma parte importante da série.

- Dois personagens originais, Erica e Iris, aparecem nesse anime. Você pensou em adicionar esses dois personagens após o processo de planejamento inicial?

Francamente, no começo, eu não achei que personagens extras fosse necessário. Eu mencionei mais cedo, mas esse é um estilo abrangente de séries que envolvem Violet, então ela já é bem acompanhada de personagens que ela conhece toda semana. Por conta disso, pensei que personagens originais seriam desnecessários. No entanto, quando falei com o compositor da série, Reiko Yoshida-san, eu percebi que nós queríamos pessoas que aparecessem no lugar onde Violet retorna. Pensamos que ao ter pessoas próximas a ela, isso mostraria o contraste em como ela se sente quando conhece esses desconhecidos, e que seria a melhor maneira de manifestar os sentimentos incipientes. Se não fosse isso, ela seria como um andarilho! (risos). Erica e Iris são o que nós simplesmente chamamos de amigos, e por observar Violet de formas mais próximas, é mais fácil para o público simpatizarem com elas. Falando de forma mais pragmática, há também o fato de que Cattleya não trabalharia por conta própria na divisão de escrita da CH Mail Services, onde Violet se encontra.

- Então a CH Mail Services se torna maior no final.

Eu queria que fosse menor, mas também precisa que seja capturado uma atmosfera de uma empresa que você trabalharia. Na medida em que a história cresce em dimensão, a empresa também cresce. 


- Eu gostaria de falar um pouco sobre os aspectos de design e animação também. Akiko Takase cuidou das ilustrações das novels e também ficou encarregada dos designs no anime, além de ser a diretora-chefe de animação. O que vocês conversaram nesse processo?

La atrás, durante o processo de design e ilustração da novel, eu não estava envolvido. Até porque, foi Takeda quem leu a novel, decifrou que tipo de imagem desenhar, e criou os personagens ela mesma. O trabalho dá uma sensação bem pessoal do trabalho dela.

- E quando chegou a hora de revisar os designs do anime, Takase-san continuou trabalhando por conta própria?

Nós criamos alguns comerciais para as novels também, mas para esses, nós pensamos em usar os rascunhos de design que ela já tinha feito para as ilustrações dela. No entanto, quando chegou a hora de animar, Takase-san pediu para fazer os olhos um pouco menor, em vez de acentuá-los e aumentar a fantasia, ela preferiu trazer mais para a realidade. Levando a opinião dela em consideração, alteramos o design quando trabalhamos nos comerciais da novel. Apesar de eu referir como "nós", essencialmente, os desenhos foram todos por conta dela.

- Falando de design de personagens de anime, geralmente eles reduzem a quantidade de linhas a ser desenhada, mas parece que não foi o caso nesse show.

Realmente não foi, na maioria das vezes. As ilustrações nas novels deram uma identidade distinta a série, e seria ruim remover isso, então aceitamos o desafio para manter da forma que eles originalmente são.

- Quando eu vejo o design dos personagens, fico impressionado na quantidade de linhas presentes. É quase como se fosse o original.

E mesmo assim, se você comparar aos comerciais das novels, nós reduzimos bastante. Nós até desenhamos linhas debaixo das roupas! Mais do que isso, foi tudo desenhado a mão, sem nenhum tipo de auxílio. Isso eram coisas que a gente conseguia fazer porque era apenas um comercial, mas na série em si, precisamos nos segurar um pouco com isso.

- Houve algum pedido que você fez a Takese-san durante o processo de converter o design original em animados?

Eu não me envolvi durante o processo de design, mas quando chegou a hora de desenhar a animação principal (key animation), eu queria que o ponto principal de Violet fosse suas sobrancelhas. Ela é uma personagem que não entende bem as emoções das pessoas, nem as próprias, mas isso não significa que ela não as tenha. É por conta do ambiente em que ela vive que ela não entende; ela simplesmente não foi ensinada sobre essas "lições". Apesar de ela não conseguir expressá-las bem, assim como qualquer um, ela possui sentimentos e emoções. Na novel, Gilbert comenta com ela "Você deveria ter essas emoções, se não, por que está com essa cara?", então é necessário ter alguma retratação sutil disso. Quando paramos para analisar aonde essa sutileza poderia ser aplicada, pensamos em colocar nas sobrancelhas a forma em que suas emoções são demonstradas. A partir daí, conversamos sobre em como controlaríamos essas sutilezas nas sobrancelhas para demonstrar isso.


- Observar esses pequenos detalhes é uma parte prazerosa de assistir essa série.

Nós realmente demos o nosso máximo nas sobrancelhas dela. São apenas uma linha, mas estamos sempre revisando elas, trabalhando em coisas como na maneira em que elas se contorcem, e etc.

- Ao olhar o resultado final do visual, eles são incrivelmente brilhantes e vibrantes.

Eu imaginei que várias pessoas que leram a novel imaginariam as cidades tendo uma atmosfera como Londres ou alguma cidade britânica. Não apenas Londres em si, mas a sensação de tranquilidade e um tom "acinzentado" de cidade. Mas ao pensar nos detalhes disso, Yoshida-san mencionou que "Violet até poderia estar nesse tipo de cidade, mas não  haveria nenhum desconforto para ela, seria muito comum". Por isso, nós retrabalhamos a imagem do local, e trouxemos varias ideias novas. Nós realmente demos o nosso máximo durante a composição desse trabalho, para demonstrar bem o ambiente.

- E como isso se relaciona ao sombreamento e efeitos?

Nós usamos técnicas que já trabalhamos anteriormente, mas para os pontos que precisam ser brilhantes, introduzimos várias cores únicas como nunca antes. Elas não são "destacadas", por assim dizer, mas nós fizemos de uma forma em que parecesse que havia um sombreamento extra em cada cena. Adicionalmente, ao escanear o desenho da animação principal e in-betweens, nós ajustávamos as linhas. Nós combinávamos as cores delas com um tom próximo para simular um efeito de reflexo.

- Entendi. Isso significa que se uma linha da cena está desenhada na cor marrom, não significa que todas serão da mesma cor.

Sim. E ao mesmo tempo, houve processos para fazer as linhas mais nítidas. A equipe de composição realmente deu o seu máximo em vários aspectos.

- Era sua intenção aplicar esse tipo de tratamento na série inteira?

Bem, aconteceu quando nós cuidávamos dos vídeos promocionais e ao produzir cenas do primeiro episódio. Quando eu estava olhando nos materiais finais, eu disse algo como "as linhas são muito grandes e obstrutivas, não fica muito 'estiloso'". E alguém começou a falar em como isso poderia ser resolvido, e ofereceu uma forma de ajuda. A equipe realmente ajudou de diversas formas durante esse projeto.

- Os aspectos visuais são brilhantes, e não são só as artes dos personagens. Tudo é como se fosse uma grande pintura incrível.

Nós não vemos linhas sólidas nos objetos quando olhamos para eles, certo? É por isso que nós trabalhamos bastante para fazer esses desenhos parecerem o mais "palpáveis" possíveis. Não é só um resultado da minha visão, eu fui abençoado com uma equipe que dá o seu máximo todos os dias.

Entrevista com o Diretor de Violet Evergarden

- Por favor nos diga alguns pontos importantes ou aspectos interessantes para notarmos no primeiro episódio.

Relativamente, se trata de um episódio bem direto, então não espere nenhum tipo de truque que te pegue de surpresa. Se eu tiver que apontar algo, eu diria para prestar atenção na apresentação de Violet. Fizemos essa série com a personagem dela como ponto focal, mas apesar do meu desejo de colocá-la sob os holofotes, não acho que as pessoas sejam incapazes de encontrar outras maneiras de curtir a série.

- Como Violet não sabe muito sobre o mundo afora, é interessante ver Hodgins e Benedict compartilhar o conhecimento deles com ela. São como pais com dificuldades em educar seus inocentes filhos.

Eu diria que esse seja um ponto para prestar atenção, dos pais tentando ensinar seus filhos. Eu adoraria que os pais ao redor do mundo pudessem assistir essa série, porque eles simpatizariam com os personagens. Adultos podem ter vidas ocupadas e sem tempo para assistir anime, mas acho que essa é uma série que todo mundo, que já criou uma criança, gostaria.

- Essa série teve eventos de apresentação ao redor do mundo. como foi isso?

Nós fomos aos Estados Unidos, e essa foi a primeira vez em que outras pessoas puderam ver essa série, então eu estava muito nervoso. Eu sabia que a cultura era diferente, então imaginei que as reações deles fossem bem diferentes, mas no final eles aplaudiram tanto com o episódio. Eu ouvi tantos "uau!", mas não sabia dizer se esse entusiasmo era mais direcionado a série ou ao evento em si. Após a exibição, houve um senhor educado que estava supervisionando a entrada dos bastidores, e ele me mostrou uma frase no seu smartphone que ele havia acabado de traduzir por uma ferramenta de tradução, que dizia "aquilo foi incrível!". Quando eu vi o quão feliz ele estava por se comunicar comigo, eu também me senti feliz, pensando em como eu sou agradecido por ter feito essa série. Eu achei um país muito legal onde alguém pode abertamente vir e dizer isso para mim.

- Ele deveria estar somente ajudando nos bastidores, mas ele foi até você para mostrar a reação dele. Você deve estar bem feliz com isso.

Com certeza! (risos) Eu senti o mesmo quando viajei até a Alemanha. A reação do público e o prazer de todos foi o mesmo, mas eu devo admitir que as minhas interações com os responsáveis na Alemanha me deixaram uma impressão ainda maior. Quando eu estava respondendo questões para uma revista de anime, a mulher que me entrevistou disse que ela achou o primeiro episódio excelente. Eu não sei alemão, então não podia responder nada diretamente, mas eu estava feliz por saber que ela disse isso do fundo do coração.

- Para finalizar, deixe uma mensagem para todos os nossos leitores que esperam uma grande série.

Francamente, Violet Evergarden parece algo complicado, mas que vai fazer essa experiência toda valer a pena. Por favor continue assistindo até o final e eu espero que você se emocione bastante!

Fonte














0 Comentários:

Postar um comentário