Chineses são presos no Japão por distribuição ilegal de mangá






O grupo traduziu produtos como Kimi ni Todoke e Maid Sama! manga crossover, além de jogos como Yu-Gi-Oh! e etc

As Polícias das Prefeituras de Kyoto, Yamaguchi, Shizuoka, Mie e Shimane anunciaram na quarta-feira que eles prenderam cinco chineses residentes no Japão por traduzirem diálogos de mangás e jogos japoneses para distribuição ilegal na China. De acordo com a polícia, pelo menos duas pessoas já admitiram o envolvimento. Os suspeitos, cuja as idades variam de 23 a 28 anos, fariam parte de um grupo de tradução que atuava em grande comunidade online e distribuía conteúdos ilegalmente para China, como mangá, anime e outros tipos de materiais comerciais japoneses.

Dentre os cinco presos há uma mulher de 24 anos que é estudante e pesquisadora na Universidade de Nagoya, e uma outra de 25 anos que está se graduando na Universidade J.F. Oberlin em Sagamihara

Distribuição ilegal de mangas China

A estudante e pesquisadora, aparentemente, traduziu Yuki Ochimura ni Ojou-sama, Maid Sama! e a série Yuki wa Jigoku ni Ochiru no ka?, entre dezembro de 2016 e setembro de 2017 sem nenhum tipo de permissão. Já a mulher de 25 anos traduziu os diálogos dos personagens de um jogo inspirado no manga Yu-Gi-Oh! de janeiro de 2015 a janeiro de 2016. 

Distribuição ilegal de mangas China

As prisões desses membros são as primeiras anunciadas desse grupo de tradutores. Quatro suspeitos estão cooperando voluntariamente com a investigação, que age em defesa da violação de direitos autorais.

De acordo com a polícia, o grupo de tradução é enorme e composto por vários voluntários online. O promotor e líder do grupo supostamente reúne os membros em fóruns e outros tipos de comunidades online e distribui tarefas na parte de tradução ou distribuição. As duas mulheres descritas acima estavam responsáveis pela tradução. Elas teriam postado as obras no Weibo, rede social popular na China, deixando-os disponíveis para serem lidos e baixados em outros sites.

A polícia disse que o grupo traduziu mangás, jogos e revistas japonesas para distribuição pública e ilegal em sites chineses de janeiro de 2015 a janeiro de 2018. Uma dessas obras seria Kimi ni Todoke - From me to You, mangá de Karuho Shiina.

Distribuição ilegal de mangas China

O grupo já teria traduzido mais de 15.000 mangás sem qualquer autorização. Essa investigação em conjunto de várias polícias do Japão está descobrindo se os outros suspeitos estão envolvidos na tradução de outras obras também.

Um inquérito feito em 2013 pela Agência de Preservação Cultural do Governo do Japão revelou que a distribuição ilegal de anime, mangá e jogos japoneses em sites chineses levaram a uma perda de 3,8 trilhões de ienes (por volta de 111 bilhões de reais).

Se condenados, os suspeitos podem pegar até 10 anos de prisão e até 10 milhões de ienes em multas, aproximadamente R$286.000,00. Eles estão sujeitos a processos civis e multas adicionais por danos, além de receberem ordens para apagarem todos os conteúdos disponibilizados.



0 comentários:

Postar um comentário