Professor se passa como aluno para saber sobre a vida sexual de mulheres

Professor se passa como aluno para saber sobre a vida sexual de mulheres




Esse professor de Osaka foi demitido por se passar virtualmente como um estudante e fazer uma enquete com 200 garotas para descobrir a vida sexual delas. Dessas 200 mulheres, duas eram estudantes da escola onde ele trabalhava.

Apesar da idade das vítimas não ter sido revelada, o simples fato de ele precisar se passar como um "estudante" implica que ele devia estar direcionando suas perguntas para mulheres mais novas que ele. Ao ser interrogado, ele simplesmente respondeu: "Eu queria satisfazer meu desejo sexual, e eu pensei que não teria nenhum problema se eu mantivesse no anonimato".

Apesar de não ter sido uma agressão "direta", a forma como ele agiu, se passando como um estudante e perguntando sobre a vida sexual diretamente a cada mulher, torna tudo isso ainda mais grave Veja as reações de alguns comentários online por lá.

"Eles deveriam avaliar melhor essas pessoas com essas tendências, antes que elas se tornem professores de fato."

"Ótimo, agora que ele foi demitido, ele está livre para fazer coisas ainda piores."

"Há um número desconfortável de professores tarados."

"Por que ele precisou perguntar pra tantas pessoas assim?"

"Me pergunto o que teria acontecido depois, caso ele não fosse descoberto."

"Ele realmente pensou que pode ficar totalmente anônimo na internet... Ele é mais idiota do que é tarado."

"Você pode ser anônimo enquanto faz coisas normais. A partir do momento em que você cruza essa linha, pessoas irão te descobrir."

Professor se passa como aluno para saber sobre a vida sexual de mulheres

Essa notícia vem no formato de um relatório comunicado pela Prefeitura de Osaka, sobre ações disciplinares tomadas contra professores nos últimos meses. Outros casos incluem um professor de 24 anos que foi demitido e preso por filmar debaixo da saia de uma mulher em uma estação de trem; um instrutor de 30 anos que recebeu uma suspensão de seis meses após ser pego roubando um par de calcinhas avaliadas em 800 ienes (aproximadamente R$24,00); e um professor vocacional de 56 anos que foi suspenso por um mês por dar um tapa em uma policial.


0 Comentários:

Postar um comentário