Lista - Mais tretas da Indústria de animes

Lista - Mais tretas da Indústria de animes




Yay! O primeiro post das 8 tretas da Indústria de animes foi muito popular aqui no site, realmente popular, então decidi fazer a parte 2. Descobri um monte de tretas que eu não conhecia e lembrei de outras que já rolaram, então aqui para vocês mais 8 casos da indústria.

E eu já tenho material para a 3º parte.

Lista - Mais tretas da Indústria de animes


1. Kannagi não é virgem? Otakus em fúria


Lista - Mais tretas da Indústria de animes

Kannagi é um mangá sobre uma deusa chamada Nagi, que foi a waifu de muita gente anos atrás, quando o mangá era mega popular, porém tudo isso mudou quando um certo capítulo foi lançado.

Entendam antes: o mangá começou, Nagi começou a morar e a interagir com o protagonista, romancezinho, fãs apaixonados pela Nagi e querendo que os dois ficassem juntos, até chegar o tal capítulo que revelou que Nagi já teve um namorado antes do protagonista, e os fãs assumiram que por ela ter um ex-namorado, ela já não era mais virgem.

Isso fez com que os fãs ficassem putos, foi uma briga no twitter, ameaças a autora, pessoas falando que não poderiam amar uma waifu de segunda mão e usada, pessoas rasgaram seus mangás de Kannagi, figures, produtos, cancelamentos de produtos relacionados a série...

2. Kokoro Connect


Lista - Mais tretas da Indústria de animes

Uma das mais famosas tretas da Indústria dos animes e o motivo porque não teremos segunda temporada, Kokoro Connect.

Mitsuhiro Ichiki foi chamado para fazer uma audição para dublar um personagem original no anime Kokoro Connect. Após a audição, ele foi chamado para ser o convidado surpresa de um evento de Kokoro Connect, evento esse que teve plateia e foi transmitido online.

Infelizmente, no palco, Ichiki assistiu sua audição (que havia sido gravada) e falaram para ele que a audição era falsa, e que o trabalho dele no anime era ser um ''Líder de publicidade'' para que chamasse atenção para o anime (essencialmente, um macaco de propaganda).

Outros dubladores e a staff que cuidavam do evento riram muito disso na hora. No Japão existe um tipo de pegadinha chamado Dokkiri Camera, que é um tipo de pegadinha perigosa porque pode dar muito errado.

E foi o que aconteceu, o sangue dos fãs subiu a cabeça e todos eles ficaram extremamente irritados pela atitude dos dubladores e da staff do evento de Kokoro Connect com Ichiki, logo fóruns, blogs e o twitter foram floodados de mensagens contra o evento, e rapidamente as empresas donas do anime tomaram conhecimento do problema.

O programa oficial de rádio do anime foi cancelado, a dubladora Eri Kitamura teve sua conta do twitter deletada pela sua agência por causa de mensagens ofensivas que ela recebeu devido ao seu envolvimento com o produtor do anime (e Kitamura não fazia parte da dublagem do anime).

Ichiki postou em seu blog que ele pedia desculpas aos fãs pelo incidente e que ele não viu o ocorrido como bullying e que ele aceitou a posição de Chefe de relações públicas, e que se fosse realmente um caso de bullying, quem estava na plateia teria reagido bem antes.

Os dubladores Hisako Kanemoto, Takuma Terashima, Asuka Ogame e Takahiro Mizushima fizeram declarações em blogs e no twitter pedindo desculpas pelo ocorrido no evento.

O Comitê de Produção do anime acabou contratando Ichiki para dublar um personagem nos últimos episódios de Kokoro Connect e disse que o intuito desde o começo era realmente ter ele nos episódios finais.

E tem mais, o compositor da abertura do anime, Hajime Kikuchi, acabou gerando problemas por comentários sobre o caso de Ichiki e também por ter feitos comentários maldosos com Haiko Momoi. O comitê de produção do anime então resolveu que a abertura de Kokoro Connect iria mudar no lançamento do DVD/BD. essas declarações fizeram com que Kikuchi também saísse da banda Eufonius.

Pois é, realmente não esperem uma nova temporada. Mesmo que o anime seja ótimo, todas essas polêmicas ficaram mega marcadas no Japão.

3. Ilustrador de Boogiepop contra a Madhouse


Lista - Mais tretas da Indústria de animes

Essa é bem recente, na verdade essa aqui ainda tá rolando nesse exato momento. Como sabem, foi anunciado um novo anime de Boogiepop certo, a treta ocorre porque o ilustrador das novels, Ogata Kouji, foi deixado de lado na produção do anime; ele só viu o visual do anime quando ele foi anunciado.

Não gostando de como o visual do anime está, ele tentou contato com a Madhouse, mas o estúdio não respondeu as mensagens dele. Resultado? Ogata ficou pistola e começou a disparar um monte no twitter contra o visual do novo anime que ele não aprova.

Porém isso não é culpa do estúdio, isso é ''culpa'' da produção do anime, é o produtor que é o porta-voz e tem que se comunicar com todos, e mesmo que Ogata seja só o ilustrador da novel há 20 anos, é uma questão de respeito você entrar em contato com o ilustrador quando for fazer uma adaptação em anime de uma obra que ele trabalha.

4. Mangaká x diretor - Fractale


Lista - Mais treta da Indústria de animes

Ou como destruir sua carreira com um simples post em seu blog, Fractale é um anime original que passou no Japão em 2011, porém teve um mangá sendo lançado desde 2010 para ir criando terreno, com a história escrita por Yutaka Yamamoto e Mari Okada, e o mangá ilustrado por Mutsumi Akazaki.

A treta começou quando Mutsumi postou em seu blog que ela achava o mangá desinteressante e que queria trabalhar em um projeto que ela gostasse. Ao ver o post, Yutaka, que ficou full pistola, porque ele odeia que critiquem os trabalhos dele, pediu ao comitê de produção de Fractale que cancelasse o mangá, não sem antes confrontar a Mutsumi no twitter, mas que a decisão final era das empresas do comitê.

Quem estava na produção do mangá era a Square Enix. Resultado? A Square Enix obrigou Mutsumi a pedir desculpas pelos comentários, o que ela fez, e disse que aquilo nunca mais iria se repetir, o mangá continuou em publicação até que foi finalizado com 3 volumes, e Mutsumi nunca mais desenhou mangá

5. Sakurasou - Japoneses x Coreanos


Lista - Mais treta da Indústria de animes

Creio que poucos conhecem essa. Tudo começou quando o 6º episódio de Sakurasou passou na TV japonesa, em uma das cenas Sorata cozinha um Samgyetang, que é uma sopa tradicional coreana, porém, muitos japoneses que assistiram ao episódio se sentiram irritados com isso, pois na light novel ele faz um Okayu, que é um prato japonês.

Sem entenderem a mudança, eles levaram isso bem pro lado pessoal, e foram até a Amazon e deram nota 1 pro primeiro volume do DVD/BD do anime de Sakurasou, e se você entende japonês, verá que existem vários comentários de japoneses contra os coreanos.

Um mês após isso, os coreanos descobriram um doujin hentai chamado Samuge-sõ no Kimchi na Kanojo, que é de Sakurasou, e após verem o doujin eles ficaram em fúria na internet. O motivo é que no doujin, Psy (sim, o do Gangnam Style), sequestra as garotas do anime, obriga elas a comerem comida coreana e depois estupra elas.

6. HENNEKO - Promovendo banda coreana


Lista - Mais tretas da Indústria de animes


Mais uma. Em 2013, durante a exibição de Hentai Oji to Warawanai Neko, temos a cena acima do protagonista no trem, e ao lado dele um poster. Estaria tudo certo, porém o poster é real, é uma propaganda do single ''Be Mine'' da banda coreana INFINITE.

Japoneses perceberam e logo começaram a reclamar no twitter, chegando ao ponto do autor da light novel ter que ir no twitter comentar o assunto. Ele disse:

''Me falaram que o mundo dos animes tem poucos staffs aonde quer que você vá, então é bem normal para produções inserirem propagandas nos seus trabalhos, porém, eu realmente gostaria que as pessoas não colocassem algo de uma banda estrangeira que ninguém nunca ouviu falar ou viu, e algo que não estava na novel original, storyboards ou em material de fotos.

Parece que isso será removido no Blu-ray e DVD, mas por causa disso, a staff que já não tem tempo e nem dorme direito, terá o trabalho aumentado e, honestamente, eu me pergunto ''por quê?''

Bom, olhando pelo lado bom, isso fez com que as pessoas falassem sobre o anime; eu não tocarei mais nesse assunto''.

7. Não seja Yamamoto Yutaka


Lista - Mais tretas da Indústria de animes

Olha o Yamamoto Yutaka aí de novo! O famoso diretor de animes que participou de Suzumiya Haruhi, Lucky Star e Wake Up Girls tem um histórico de participar de tretas, então vamos por partes.

Primeiro temos sua demissão da Kyoto Animation. Yamamoto foi colocado como o diretor do anime, porém após o 4º episódio ele foi demitido; a KyoAni apenas se limitou a falar que Yamamoto não havia atingido o nível de diretor, mas na época surgiram rumores que a causa da demissão foi por assédio sexual.

Em seu twitter, Yamamoto chegou a postar que ele iria parar de assediar Tsuda, uma das dubladoras de Wake Up Girls, por ela ser ''chata''.

Ele também criticou a idol Mayu Tomita, que foi esfaqueada 21 vezes por um ''fã''. Segundo ele, a culpa foi dela por ter rejeitado os presentes do fã, assim como ter bloqueado ele.

Em 2016, ele e Seiji Mizushima (diretor de Fullmetal Alchemist, Concrete Revolutio) brigaram, com Seiji bloqueando Yamamoto no twitter.

Além disso ele já chegou a falar que animes estão mortos e volta e meia ele critica a indústria.

8. B Gata H Kei ameaçado 


Lista - Mais treta da Indústria de animes

B Gata H Kei é um anime sobre uma garota chamada Yamada que quer transar com vários garotos, e por conta disso o anime é safadinho.

Em 2010 o site oficial do anime postou uma notícia importante: o comitê de produção havia recebido várias ameaças de morte. As cartas pediam uma mudança no conteúdo e apresentação do anime, e ameaçava o estúdio e os escritores do anime, caso eles não cumprissem.

O Comitê de Produção então disse que todo o conteúdo do anime é decidido pelas empresas do comitê e não pelos escritores ou pelo estúdio, e que eles não vão atender as demandas da carta.

O motivo da ameaça é um rumor, mas dizem ser o fato da protagonista do anime, Yamada, ser dublada pela Yukari Tamura. Algum fã provavelmente não gostava de ver sua dubladora favorita falando coisas safadinhas em um anime.


0 Comentários:

Postar um comentário