Produtor do estúdio Yaoyorozu propõe Sistema de Parcerias a Comitês de Produção

Produtor do estúdio Yaoyorozu propõe Sistema de Parcerias a Comitês de Produção




Yoshitada Fukuhara, que foi o produtor do anime Kemono Friends, fez uma apresentação chamada ''Um Sistema de Parceria no Sistema de Comitês de Produção'', na Universidade Internacional de Josai, na segunda-feira.

Produtor do estúdio Yaoyorozu propõe Sistema de Parcerias a Comitês de Produção

A apresentação dele mostrou problemas que a indústria de animes enfrenta, mesmo tendo tido o recorde de 2 trilhões de ienes em 2016 no seu lucro. A AJA reportou no seu arquivo de 2017 que as empresas de produção de animes, no caso os estúdios, lucraram 230.1 bilhões de ienes, explicado no gráfico abaixo:

Produtor do estúdio Yaoyorozu propõe Sistema de Parcerias a Comitês de Produção
A parte verde é o quanto os estúdio ganharam por ano.

Fukuhara listou alguns dos problemas:
  1. Salário baixo dos animadores;
  2. Estruturas formadas nas quais estúdios de animes não tem direito sobre seu trabalho;
  3. Falta de produtores talentosos;
  4. Queda na distribuição na China, que se tornou a maior fonte de lucro;
  5. Apesar das adaptações em anime terem vários benefícios, as editoras normalmente não dão contratos flexíveis relacionados com os royalties do trabalho original (tipo novel ou mangá);
  6. As percentagens da taxa de manuseio no momento da distribuição no exterior são fixas, embora os rendimentos sejam pequenos e a distribuição no exterior não corresponda ao estado atual em que compõem a maioria da renda;
  7. O número de animes aumenta a cada ano enquanto os animes de boa qualidade estão diminuindo.
O sistema de comitês de produção domina. Até metade dos anos 90, eram as emissoras de TV e patrocinadores que dominavam as produções de animes; o sistema de comitês começou na outra metade dos anos 90. Com esse sistema cada empresa fica responsável por sua área e com o lucro que ela traz, um exemplo é uma empresa que fabrica discos e fica com suas vendas.

Em 2017, as vendas totais de DVD/BD no Japão cairam 10%, mas as vendas de discos de animes aumentaram 2.6%, e nesse meio tempo tivemos dois produtores que falaram coisas opostas. Sho Tanaka disse que, apesar de pessoas falarem que as vendas de discos físicos estão caindo, ele ainda considera elas o mais importante, enquanto o produtor de Pop Team Epic disse que vendas de discos caíram muito, e que hoje temos fontes de renda mais importantes.

Produtor do estúdio Yaoyorozu propõe Sistema de Parcerias a Comitês de Produção

Para acabar com os comitês de produção, Fukuhara sugeriu um novo sistema de ''Parceria''. Nesse cenário, os estúdios seriam os líderes, e as empresas de distribuição estrangeiras como Amazon e Netflix suas parceiras; as empresas de distribuição pagariam taxas proporcionais ao custo total de produção.

O propósito disso é que o pagamento dessas taxas permita que os estúdios tenham os direitos de seus trabalhos, daí os estúdios podem vender eles para licenciadores e expandir seus negócios. Segundo Fukuhara, ''mais cedo ou mais tarde esse sistema vai cair''. Ele diz que essa ideia de sistema de parceria não é para substituir o de comitês de produção, mas sim para que os estúdios tenham outra opção.

Fukuhara é do estúdio Yaoyorozu, que produziu o anime Kemono Friends, porém ele já confirmou que eles não vão trabalhar na segunda temporada.

-----------------

Hoss aqui. Sobre o que ele disse, primeiro de tudo me parece ser alguém frustrado por que Kemono Friends é de um Comitê de Produção e não deles, e esse comitê retirou o anime deles, então aí eu já fico meio pé atrás.

Segundo, ele fala de terem direitos sobre o material original, mas eu discordo. O mangá, game ou light novel pertence a editora ou a desenvolvedora, eles não tem obrigação a nada com estúdio ou outras empresas que resolvam produzir um anime daquilo.

Terceiro, esse gráfico do lucro dos estúdios em comparação com o total ganho ignora que, na maioria dos casos, os estúdios não tem gastos como as empresas do comitê. Eu até vi umas pessoas comentando isso no Twitter, os estúdios são contratados por empresas, empresas essas que pagam os gastos do anime; só em animes originais que o estúdio é o maior responsável e que ele sofre riscos, mas isso é normal nos negócios.

A Kyoto Animation sempre vem a mente por ser um ótimo exemplo de um estúdio que soube administrar seu modelo de negócio para ser completamente independente e possuir os direitos de seus animes e outros estúdios podem tentar fazer o mesmo. Custa grana, é difícil mas não impossível.

Eu já tinha visto as declarações dele mas eu sinceramente não levei nada disso muito em consideração, desculpe, é uma opinião dele e uma visão dele da indústria. É a mesma coisa do produtor lá de Re:Zero falar que venda de disco é o mais importante e depois vir o de Pop Team Epic falar que tem coisa mais importante, cada um sempre vai falar uma coisa, o que uma pessoa fala não é uma verdade absoluta que você tem que aplicar em todos os casos.

Muitas pessoas que trabalham em estúdio reclamam que são escravos dos comitês, mas veja bem, eles fazem por merecer? Eles tentam sair dessa ''dependência''? Toda vez que eu vejo alguém de estúdio reclamando, eu olho pra KyoAni, ela não é exceção, ela não é a única milagrosa, façam por onde.

Olha a Production IG e Bones, que recentemente fecharam justamente o que ele sugeriu, um acordo com a Netflix, isso já mostra que tem estúdio se mexendo para ficar livre desse sistema. Enfim, essa é minha opinião tá galera, podem comentar o que vocês acham de forma bem sincera.



0 comentários:

Postar um comentário