Como Nagatani influenciou vários dos animes mais criativos dessa década











Em apenas poucos minutos conversando com o produtor Takayuki Nagatani, é fácil perceber que ele, não apenas é o produtor de alguns dos animes mais criativos da década, mas principalmente, um grande fã deles.

Flip Flappers, Hana-Saku Iroha, Shirobako, Hataraku Maou-sama! e Citrus são apenas alguns exemplos de envolvimento dele. A Anime News Network conseguiu uma entrevista no escritório dele, que por sinal, tem como guarda um Roro (Shirobako) de pelúcia em tamanho real.

Animes Criativos Nagatani

O primeiro passo de Nagatani na indústria de anime foi após ele ter conhecido o produtor de Neo Genesis Evangelion, Toshimichi Otsuki. Naquela época, ele ainda não sabia muito qual era o papel de um produtor de anime, mas já se mostrava interessado pelo fato do cargo precisar estar presente em todos os passos de uma produção. Graças a esse contato, ele começou sua carreira como Produtor Assistente na King Records. Nagatani ficou alguns anos lá antes de virar freelancer, e finalmente, se tornar um produtor na Bandai Visual

Mas mesmo na Bandai, Nagatani não tinha a liberdade que ele gostaria. Como um produtor jovem, havia uma certa barreira de idade que o impedia de criar histórias que ele gostaria de ver. Quando a ANN perguntou a Nagatani que tipo de shows ele gostaria de criar, ele respondeu que gostaria de fazer um anime sobre a adolescência e a transformação pra vida adulta. Ele agora aponta Hana-Saku Iroha e Nagi no Asukara como duas das séries que ele sempre sonhara em fazer. Porém quando ele trazia esse tipo de ideia a outros produtores, ele era recusado com a justificativa de que esses tipos de histórias se encaixavam melhor em live action.

Com essas histórias e sonho em mente, ele deixou Bandai e fundou sua própria empresa com o desafio de conseguir parcerias para financiar essas séries. Na Infinite, seu trabalho agora era de trabalhar juntamente com os estúdios de animações e a equipe de criação para traçar ideias para séries que atraíssem a atenção de outras empresas que ajudassem no financiamento. Graças ao seus contatos anteriores na King Records e Bandai, ele conseguiu estabelecer um comitê de produção.

Animes Criativos Nagatani

Apesar de ter suas próprias preferências, ele tinha como objetivo criar sua primeira série e com isso aceitaria a ajuda de outros estúdios. Ele acreditava que um estúdio novo que produzisse um anime original ajudaria a desenvolver mais a imagem de seu estúdio. Com esse sonho na cabeça, Nagatani fez questão de ir em todos os estúdios durante a produção de sua primeira série, com o intuito de ajudar quaisquer problemas de produção. Os três estúdios que recebera sua ajuda até agora foram a P.A. Works, White Fox e Studio 3Hz. E apesar de seus trabalhos iniciais não fossem todos originais, foram o suficiente para dar o empurrão que precisavam em conseguir fundos para uma nova série.

Após cada uma dessas empresas terem produzido seus trabalhos de estreia, Nagatani continuou a trabalhar próximo de cada equipe em cada estúdio. Antes do lançamento do primeiro anime do Studio 3Hz, Sora no Method, Nagatani e a equipe já planejavam um segundo anime original, dessa vez dirigido por Kiyotaka Oshiyama. Mas em vez de estar envolvido no processo criativo, dessa vez ele só quis ajudar Oshiyama a realizar sua visão em lançar Flip Flappers. 

Nagatani enfatiza diversas vezes pela entrevista sobre o talento incrível de Kiyotaka Oshiyama, e pede para que os fãs de anime ajudem a popularizar suas séries.

Nagatani manteve um bom relacionamento com todos os estúdios e diretores com quem trabalhou, e apesar de haver várias pessoas que ele adoraria trabalhar junto, ele prefere fortalecer ainda mais seus relacionamentos com criadores que ele já conhece. Ele compara esse tipo de relacionamento como o que o presidente do Studio Ghibli e Hayao Miyazaki possuem. "Esse tipo de relacionamento não é fácil, é construído ao longo dos anos, e apesar de eu querer criar vários trabalhos diferentes, eu também quero aprofundar melhor minhas relações".

Animes Criativos Nagatani

Além de tudo, Nagatani também foi importante em conseguir a aprovação do recém anunciado filme de Shirobako. Ele é um grande fã da série, e após o término ela, ele tinha como objetivo expandir mais esse universo. Mas na época, não foi uma decisão fácil por conta de agendas e por conta de enredo. Mas Nagatani conseguiu convencer todo o elenco a continuar a história planejando um filme com um enredo diferente e uma qualidade de produção muito maior.

Animes Criativos Nagatani

Mesmo com sua preferência em desenvolver animes originais, Nagatani às vezes é contatado por editoras a adaptar trabalhos de light novel e manga. Mas o método de produção da Infinite é diferente da maioria dos outros... enquanto se demora aproximadamente dois anos para se adaptar um anime, na Infinite, esse número pode virar 3, isso sem contar o tempo a procura do elenco perfeito. 

Dito isso, há outra consideração que Nagatani leva quando pensa em criar adaptações. "Eu sou um otaku, então só gosto de criar adaptações de coisas que eu gosto". No caso de Citrus, a editora o enviou os volumes do manga, e mesmo não sendo a série fofa que ele esperava, Nagatani acabou se interessando nos relacionamentos complicados e teve a vontade de criar um anime que agradasse tanto o público masculino quanto o feminino. Quando está criando uma adaptação, Nagatani leva o trabalho como se fosse uma obra original e cria algo que seja bom em sua própria maneira, em vez de simplesmente criar algo que agrade apenas os fãs atuais.

E quando o anime é lançado, não significa que o trabalho acabou para Nagatani. Seu trabalho como produtor também inclui a promoção da obra e marketing. Como muito merchandising de anime envolve a venda de itens e objetos, Nagatani faz questão de que cada personagem tenha um apelo enquanto a série está sendo transmitida. Como é difícil saber quais personagens vão se tornar popular até o fim da série, produtos caros como figures não são planejadas até o término da série. 

Animes Criativos Nagatani

Ter a chance de conversar com um produtor criativo e tão envolvente como Takayuki Nagatani nos ajuda a entender mais sobre o processo de produção de anime como um todo, desde a concepção do projeto até a venda de produtos anos depois do lançamento. Ao apostar em estúdios jovens e permitir que criadores promissores como Kiyotaka Oshiyama tenham a liberdade sobre suas séries, Nagatani é diretamente e indiretamente responsável por vários dos animes mais interessantes dessa última década.

Fonte: ANN

0 Comentários:

Postar um comentário